Foto - Embraer

Durante um coletiva de imprensa nesta sexta-feira (30/11), o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que é a favor do atual acordo da Embraer com a Boeing, que prevê a criação de uma joint-venture na área de aviação comercial com participação de somente 20% da empresa brasileira.

“Sou favorável a ela (à fusão). Entendo que a Embraer, se continuar solteira como está, a tendência é desaparecer”, disse Bolsonaro.

Apesar do presidente Michel Temer ter adiado a decisão sobre autorizar ou não a junção entre as duas empresas, a equipe de Bolsonaro pode autorizar a joint-venture logo nos primeiros meses de governo, através da “golden share”.

No acordo entre as duas empresas está previsto que a Embraer fique com 100% das divisões de Jatos Executivos e de Defesa/Segurança, além das divisões que auxiliam em outros produtos e serviços. O acordo garante apenas a participação de 20% da empresa brasileira em uma joint-venture com a Boeing na finalidade de comercializar os E-Jets da Embraer, sendo que a Boeing fica com 80% da propriedade e ainda com direito de veto nas decisões.