Bombardeiro B-1B. Foto - U.S. Air Force by Staff Sgt. Clayton Cupit

Os bombardeiros supersônicos estratégicos B-1B Lancer voltaram aos voo após a paralisação de todas as unidades no dia 28 de março. O motivo da paralisação foi uma falha encontrada nos paraquedas dos assentos ejetores ACES II.

Por meio de nota, o general Timothy Ray, comandante do Comando de Ataque Global da USAF, informou a volta das operações com o B-1B, mas que essa volta das operações serão feitas de forma gradativa, assim toda uma inspeção pode ser feitas nas aeronaves.

“Estamos orgulhosos dos tremendos esforços de nossos técnicos de manutenção e de equipamentos de voo para identificar, inspecionar e remediar possíveis problemas com o sistema de ejeção do B-1B”, disse o major-general James Dawkins Jr., comandante da 8ª Força Aérea. “As aeronaves ainda estão seguras para voar, e estamos confiantes de que este stand-down resultou em maior segurança na frota de bombardeiros B-1B.”

Ainda no comunicado das autoridades militares da USAF, foi ressaltado que a “segurança pessoal é mais importante”.

Ao todo as USAF opera 62 unidades do B-1B Lancer, e planeja voar com este bombardeiro até 2036, isso claro, já envolvendo um pacote de modernizações das aeronaves.