Xian H-6K China
Bombardeiro Xian H-6K da Força Aérea Chinesa. Foto: Andrei Shmatko (CC BY-SA 4.0)

A Força Aérea Sul Coreana (ROKAF) enviou caças para impedir que um grupo de aeronaves militares russas e chinesas entrassem no seu espaço aéreo nesta terça-feira (24). As aeronaves voaram pela Zona de Identificação de Defesa Aérea (ADIZ) da Coreia do Sul. 

Segundo o Estado-Maior Conjunto (JCS) da Coreia do Sul, quatro aviões russos e dois bombardeiros Xian H-6 chineses entraram na ADIZ, mas não invadiram o espaço aéreo territorial do país. A zona de defesa aérea não é espaço aéreo territorial, mas sim um território delineado para convocar aviões estrangeiros a se identificarem para evitar confrontos acidentais.

F-15K ROKAF Coreia do Sul
Caças F-15K Slam Eagle da Força Aérea Sul-Coreana.

“Antes de sua entrada na ADIZ, nossos militares enviaram caças da Força Aérea para realizar etapas táticas de preparação contra possíveis situações acidentais”, disse o JCS em uma mensagem de texto enviada aos repórteres, informa a agência Yonhap. 

O Ministério da Defesa Russo também enfatizou que não houve qualquer invasão de espaço aéreo durante a ação ao lado dos seus parceiros chineses, chamada de patrulha aérea conjunta. 

“A Força Aeroespacial Russa e a Força Aérea do Exército de Libertação do Povo Chinês realizaram uma patrulha aérea conjunta na região da Ásia-Pacífico. A força-tarefa aérea composta por bombardeiros estratégicos Tu-95MS da Força Aeroespacial Russa e bombardeiros estratégicos H-6K da [PLAAF] realizaram uma patrulha aérea conjunta sobre as águas do Mar do Japão e do Mar da China Oriental”, disse o ministério em comunicado.

Às 7h56, dois bombardeiros H-6 da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) entraram na ADIZ numa área 126 quilômetros a noroeste de Ieodo, uma rocha submersa ao sul da ilha de Jeju, segundo o JCS. Eles se moveram em direção ao Mar do Leste e saíram da zona por volta das 9h33.

Mais tarde, os dois bombardeiros da PLAAF se juntaram a um par de bombardeiros russos Tu-95MS, escoltados por outros dois caças Su-30. O grupo de seis aeronaves entrou na ADIZ coreana às 9h58, retirando-se posteriormente. 

Rússia Tu-95 MS
Foto: Alex Beltyukov – RuSpotters Team (CC BY-SA 3.0)

Mais tarde, às 15h40, quatro aeronaves militares chinesas e duas russas foram vistas voando em uma área a cerca de 267 km a sudeste de Ieodo, já fora da ADIZ, informou o JCS.

O Ministério russo ainda afirmou que as aeronaves foram escoltadas por caças F-2 da Força Aérea de Autodefesa do Japão e F-15K Slam Eagle da ROKAF. Jatos Su-30SM Flanker russos escoltaram a força-tarefa. Vídeos divulgados como sendo do voo de hoje mostram um F-15 japonês escoltando um Tu-95 russo, outros mostram um F-15C da Força Aérea dos EUA sediado na Base Aérea de Kadena, no Japão.

https://twitter.com/bigrussianshop/status/1529148721103089665

Os militares sul-coreanos estão analisando este evento como parte de um exercício conjunto entre a China e a Rússia. Esta foi a primeira incursão na ADIZ sul-coreana desde a posse do atual presidente Yoon Suk-yeol, além de ser a primeira vez que aviões militares dos dois países entraram juntos na região neste ano.
 
A agência também observa que a incursão sino-russa aconteceu no momento em que o presidente dos EUA, Joe Biden, terminou sua turnê pela Coréia e Japão para confirmar a estratégia Indo-Pacífico liderada pelo seu país.