Embraer Brasil
Foto - Embraer (Imagem ilustrativa)

Hoje (18) o Brasil desistiu de realizar um processo com o Canadá, em relação aos subsídios na área de aviação. O Brasil pediu para que novas negociações com as duas fabricantes de aeronaves dos dois países fossem realizadas, sendo a Bombardier e a Embraer.

Os problemas acontecem em meio a outra disputa sobre as tarifas dos subsídios de produtos importados entre a Boeing e a Airbus, sendo EUA e a França com a Alemanha. A Embraer disputa o mercado regional de aeronaves com a Bombardier, a disputa acirrada já fez com que ocorressem reclamações de ambas as partes.

Em 2017 a Organização Mundial do Comércio(OMC) recebeu uma reclamação vinda do Brasil sobre um aporte financeiro realizado pelo Governo canadense para a família CSeries da Bombardier, ajudando a fabricante a concretizar o projeto. O aporte foi feito no valor de US$ 3 bilhões para acirrar a competição com o nova geração do Embraer E-Jet.

Continua depois do anúncio

Depois das reclamações o processo não foi levado adiante, logo depois em 2018 o programa foi vendido para a Airbus. A aeronave recebeu o nome de Airbus A220 prejudicando a Embraer na disputa. O Canadá disse que não realizou nenhum aporte financeiro para a Bombardier.

A Airbus adquiriu uma participação majoritária no programa A220 da Bombardier. Foto: Steve Lynes via Flickr

“O Brasil continua convencido da força de seu caso. No entanto, ficou claro que a disputa não poderia remediar efetivamente os impactos de tais subsídios em grande escala no mercado de aeronaves comerciais ”, disse o Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Desde então, a Airbus também passou a fabricar aeronaves nos EUA sendo fabricado até o Airbus A220. “Depois de encerrada essa disputa, o Brasil se concentrará, com ímpeto renovado, no lançamento de negociações que visem produzir regras mais eficazes no que diz respeito ao apoio governamental ao setor de aeronaves comerciais”, completou.

Continua depois do anúncio

O Brasil sugeriu que as negociações deveriam ter como base o acordo com participação dos países onde possuem fabricantes de aeronaves. A Embraer apoiou o Brasil dizendo que as fabricantes de aeronaves deveriam fazer concorrência com seus produtos mediante de seus próprios esforços e sem buscar disputas por subsídios. 

No começo desta manhã(18), a Airbus disse que está disposta a chegar um acordo definitivo com a Boeing para encerrar o imbróglio. 

 

Fonte: Reuters

Continua depois do anúncio