China J-10 caça nova versão variante
Caça J-10 chinês foi flagrado com uma espinha dorsal. Foto via @Fighterman_FFRC.

Uma possível nova variante do caça Chengdu J-10 Vigorous Dragon da China foi flagrada durante testes em solo. O jato de combate está entre os modelos mais usados pela Força Aérea e Aviação Naval chinesas. 

A única imagem do J-10 modificado está circulando pelo Twitter e a rede social chinesa Weibo desde a madrugada desta terça-feira (12). Até o momento não há informações sobre onde o avião foi registrado, mas é possível que seja nas instalações da fabricante, a Chengdu Aerospace Corporation (CAC), com sede na cidade homônima que é capital da província central de Sichuan. 

O avião, aparentemente um J-10B protótipo, recebeu uma longa espinha dorsal que vai do cockpit até a base do estabilizador vertical. Por conta disso, o caça chinês está sendo chamado informalmente de “J-10D” por internautas. 

Na China, o sufixo D geralmente é associado à aeronaves de Guerra Eletrônica (EW). É o caso do Shenyang J-16D, oficialmente revelado no China Airshow do ano passado. O D vem da palavra ‘Diànzǐde’ (电子的), que significa “eletrônico” em mandarim. 

Andreas Rupprecht, especialista em aviação chinesa, observa que o J-10 modificado possui um motor russo Saturn AL-31FN, que equipava as primeiras versões do caça chinês. Dessa forma, Rupprecht questiona o porquê do J-10 não estar usando o motor chinês Shenyang WS-10B/C, que já equipa os aviões mais novos. 

https://twitter.com/RupprechtDeino/status/1546745687123058688

A adição da espinha dorsal é bastante parecida com a mesma vista em caças F-16 usados por diversos países, tais como Israel, Polônia, Singapura e Chile. Esta “corcunda” é instalada apenas nos F-16D de dois assentos e adiciona um espaço de 850 litros em volume para mais aviônicos e equipamentos similares. 

Se esta realmente for uma nova variante dedicada à EW como o J-16D, a espinha dorsal do J-10 deverá abrigar uma série de equipamentos para detecção, captação de dados e interferência eletrônica. No entanto, isto faria mais sentido em uma aeronave de dois assentos como o J-10S, onde o segundo tripulante ficaria responsável por gerenciar esses sistemas.

F-16D Chile
Um F-16D Block 50 da Força Aérea Chilena, equipado com a espinha dorsal onde são carregados mais aviônicos. Foto: Lockheed Martin.

Outra possibilidade é de que a modificação se trata de um tanque de combustível conformal (CFT). Usados em caças como o F-15 Strike Eagle e o próprio F-16, os CFT são acoplados junto à fuselagem do avião.

Normalmente eles possuem uma capacidade de combustível menor que os tanques subalares, mas compensam ao ter um coeficiente de arrasto aerodinâmico menor, além de liberar espaços nos cabides para mais armamentos. 

F-16I Sufa Israel CFT
O F-16I Sufa da Força Aérea Israelense possui tanques de combustível conformais, montados sobre a fuselagem. Foto: IAF.

De qualquer forma, estas são apenas especulações. Também é possível que esta nova versão jamais entre em serviço. Mas caso entre, e bastante provável que a China – que nunca dá detalhes sobre seus projetos militares – jamais revele do que se trata a modificação no J-10. 

O J-10 é um caça monomotor delta-canard desenvolvido pela China, supostamente a partir do IAI Lavi israelense (um projeto com base no F-16). A aeronave possui um canhão GSh-23 de 23mm e 11 pontos duros para uso de mísseis ar-ar, ar-solo, bombas, foguetes e demais armamentos.

J-10C taxi China Chinês
Chengdu J-10C. Foto via China Miltary.

As versões mais novas, J-10B e J-10C, incorporam sistemas mais novos como suítes de guerra eletrônica avançadas e radar AESA. Segundo levantamento da Flightglobal, a China possui 260 caças J-10 em serviço com a Força Aérea do Exército de Libertação Popular e a Aviação Naval.