F-35B Lighting II Joint Strike Fighter (Imagem Ilustrativa) Foto: Us Navy Twitter

Um caça F-35B do Grupo de Aeronaves dos Fuzileiros 12, da 1ª Ala de Aeronaves Marítimas, teve um incidente Bird-Strike, na última terça-feira em Iwakuni, Japão. O caça teve que abortar a decolagem.

Segundo o Major Eric Flanagan, um porta-voz, “a aeronave taxiou com segurança para livrar a pista”. Tudo ficou bem para o piloto, mas o choque com ave gerou uma necessidade de reparo ao custo total de 2 milhões de dólares.

Uma investigação sobre o incidente já está em andamento pelas autoridades norte-americanas.

Bird-Strike é um incidente causado pelo choque entre aves e aeronaves, é algo que não é raro, mas dependendo do tamanho da ave e de onde houve o impacto pode ser sério.Estes episódios acontecem tanto na aviação civil quanto na militar.

O último Bird Strike ocorrido foi com outro caça da USAF, foi no dia 17 de abril, envolvendo um F-16 Fighting Falcon da 49ª Ala da Base Aérea Holloman, Novo México. O caça F-16 atingiu um falcão, uma ave de rapina. Não houve ferimentos ao piloto nem maiores danos à estrutura do F-16.

“Quando ocorre uma colisão com um pássaro, os restos mortais são enviados para o Smithsonian, onde eles classificam a ave e determinam como ela foi atingida”, disse o segundo tenente Jasmine Manning ao Marine Corps Times

Manning acrescentou que a base “toma medidas para prevenir o maior número possível desses ataques, bem como qualquer obstrução que possa afetar uma decolagem ou pouso seguro de nossas aeronaves”.