Seis novos J-10C Vigorous Dragon foram entregues à Força Aérea Paquistanesa. Foto via @PSFAERO.

A Força Aérea Paquistanesa (PAF) introduziu em serviço hoje (11) o seu primeiro lote de caças J-10C Vigorous Dragon. Os aviões de combate, fabricados na China pela Chengdu Aerospace Corporation, foram apresentados em uma cerimônia na base aérea de Kamra, com a presença de autoridades de ambos os países.

As seis novas aeronaves, que haviam chegado ao país no dia 04, sobrevoaram a base aérea na presença do primeiro-ministro Imran Khanm, que saudou a compra dos caças. Além dos J-10C, a PAF também introduziu em serviço os drones turcos Baykar TB2 Bayraktar e Akinci. 

J-10C China paquistão
Militares e membros dos governos chinês e paquistanês na cerimônia de apresentação dos J-10C. Foto: AP.

https://twitter.com/PSFAERO/status/1502197145583206403

Até o momento não foi revelado o valor pago pelos J-10 e nem a verdadeira quantidade de aeronaves adquiridas, embora autoridades tenham falado anteriormente em 25 jatos. Outras fontes dizem que os paquistaneses desejam adquirir até 36 J-10C. 

A introdução em serviço do J-10C na PAF é mais um passo na longa parceria que Paquistão e China mantém. O caça de 4ª Geração JF-17 foi desenvolvido entre os dois países, sendo um dos principais modelos em operação na PAF. A compra os J-10C também marca a primeira exportação do modelo chinês. 

Pelo menos um dos J-10 apresentados estava armado com quatro mísseis de longo alcance PL-15 e dois mísseis de curto alcance PL-10. Estes estão entre os armamentos mais avançados do arsenal chinês, considerados equivalentes ao AIM-120 AMRAAM norte-americano e o IRIS-T europeu.

O J-10C é um caça multifunção de 4.5 Geração, sendo a versão mais nova, avançada e capaz do delta-canard J-10. A aeronave incorpora o motor chinês Shenyang WS-10B — que substitui o Saturn AL-31 russo usado nas variantes anteriores — radar AESA, e compatibilidade com os mísseis ar-ar mencionados acima. 

O J-10 teria sido desenvolvido a partir do IAI Lavi, um caça israelense baseado no F-16A dos Estados Unidos. Hoje, mais de 460 unidades das variantes J-10A, S, B e C estão em serviço na Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) da China. 

Sem citar a vizinha Índia, Khan disse em seu discurso que os aviões construídos pelos chineses desempenhariam um papel importante na correção de um “desequilíbrio de segurança” na região.

Paquistão e Índia têm uma história de relações amargas. As duas nações travaram três guerras, duas delas pela disputada região da Caxemira no Himalaia, que é dividida entre as duas, mas reivindicada por ambas em sua totalidade.

No dia em que revelou a compra dos J-10, o Ministro do Interior, Sheikh Rashid Ahmed, afirmou que a compra é uma resposta aos 36 caças franceses Dassault Rafale adquiridos pela Força Aérea Indiana,