F-16 FAP Portugal
Caças F-16AM da Força Aérea Portuguesa. Foto: OTAN - Comando Aéreo Aliado.

Um Boeing 737-8 MAX da Ryanair foi interceptado por um par de caças F-16AM Fighting Falcon da Força Aérea Portuguesa (FAP) depois de perder comunicação com o controle de tráfego aéreo. O incidente ocorreu no dia 08 de janeiro. 

O jato comercial de matrícula EI-HAY cumpria o voo FR-8288, ligando os aeroportos de London Stansted, na Inglaterra, e Lanzarote, nas Ilhas Canárias (Espanha). Voando sobre o Oceano Atlântico no nível de voo 410 (41 mil pés), a cerca de 50 milhas náuticas de Lisboa, a tripulação acabou perdendo contato com o controle de tráfego português. 

F-16 ryanair
Imagem via redes sociais.

A perda de comunicação com o 737 MAX fez com que a Força Aérea rapidamente despachasse dois de seus F-16 a partir da base aérea de Monte Real, sede de dois esquadrões que operam o modelo. Os pilotos da FAP observaram o cockpit do jato, procurando por qualquer atividade suspeita no interior do aeronave. 

Felizmente, a tripulação da Ryanair conseguiu recuperar contato com os órgãos de controle de tráfego aéreo, prosseguindo com o voo normalmente e pousando nas Ilhas Canárias cerca de 80 minutos depois. Os caças voltaram à base em segurança. 

O incidente também marcou a primeira interceptação realizada por caças da OTAN em 2022. A aliança militar liderada pelos Estados Unidos aponta que suas aeronaves foram acionadas 370 vezes para interceptar e acompanhar aeronaves na Europa em 2021. Deste total, cerca de 80% dos voos (290 decolagens) foram respostas aos sobrevoos de aeronaves militares da Rússia

Com informações de The Aviation Herald.

DEIXE UMA RESPOSTA