F-22 Raptor (com Subala)r intercepta TU-142 russo- Foto: NORAD

No último dia 7 noticiamos aqui algumas interceptações que aconteceram com um TU-142MK da marinha russa por aeronaves da RAF e da RNoAF perto do espaço aéreo inglês e norueguês.

Dois dias após foi a vez de caças CF-18 Hornet do Canadá e caças F-22 Raptor dos EUA interceptar dois TU-142 que estavam voando na ADIZ do Alasca (Zona de Identificação da Defesa Aérea).

A zona ADIZ é um setor cujo o espaço aéreo é internacional. Sua região se estende a 200 milhas da costa dos EUA/Canadá e é monitorado no interesse da segurança nacional. Na região em si as três nações, EUA, Rússia e Canadá fazem fronteira, porém as aeronaves russas ficaram em torno de 20 milhas do espaço aéreo dos EUA.

Caças CF-18 do Canadá interceptam o TU-142 russo, Foto: Autor desconhecido

Os motivos reais da interceptação são desconhecidos, mas já é motivo de desconfiança de muitos que as aeronaves como o TU-142 ou o TU-95 realizam voos próximo das regiões para coletar dados de defesa aérea de um país e coletar informações de mapeamento e sinais.

Na região norte-americana do Alasca existe base que abrigam caças F-22 Raptor que ficam de pronto alerta (QRA (alerta de reação rápida). Os caças no entanto, decolam com o subalar (combustível extra), sendo assim, em tempo de paz não precisam voar com seu modo furtivo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA