Presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente da Coréia do Sul, Moon Jae-in

Uma situação tensa aconteceu envolvendo três nações sobre o pacífico. Tudo começou a tomar uma forma mais tensa quando segundo o Estado -Maior Conjunto da Coréia do Sul divulgou um comunicado alegado que aeronaves da Rússia e da China adentraram uma zona aérea controlada pela Coreia do Sul.

As aeronaves chinesas e russas envolvidas se tratam de dois bombardeiros chineses H-6, uma aeronave e alerta aéreo russa, A-50, bem como um bombardeiro russo TU-95.

Tanto a Coreia do Sul quanto o Japão confirmam que houve uma intensa movimentação destas aeronaves na região e acreditam que tenha sido um treino em conjunto, mas as aeronaves entraram na área de Identificação de Defesa Aérea de Seul (KADIZ).

A-50 Beriev da Rússia- Foto: Autor Desconhecido

Como resposta a Coreia do Sul mandou caças F-15F e KF-16 para interceptar os bombardeiros e os caças realizaram mais de 360 tiros de alerta, ou seja, para demostrar as aeronaves interceptadas que os caças tinham armamento e poderia usá-los contra eles.

Os sul-coreanos disseram que entes dos disparam foram feitas mais de 30 advertências, ao avião russo e não obtiveram respostas.

Tal ação foi classificada pelo Ministro da Defesa Russo, como inadequada por parte dos pilotos da Coreia do Sul. O ministro também negou que adentraram a zona de controle de Seul.

Caça F-15 da Coreia do Sul- Foto: Autor Desconhecido

“A primeira patrulha aérea conjunta usando aviões de longo alcance na região da Ásia-Pacífico”. Acrescentou que a patrulha aérea conjunta foi “realizada com o objetivo de aprofundar e desenvolver as relações russo-chinesas” e “não foi dirigida contra países terceiros”, disse o ministro russo.

“(Eles) conduziram manobras não profissionais cruzando o curso dos mísseis estratégicos russos, ameaçando sua segurança”, completou.

TU-95MS- Foto Beriev

Segundo os russos as aeronaves estariam voando sobre águas neutras, o que não tem problema algum, mas isso e desmentido pela Coreia do Sul.

F-35A da JASDF-Foto: U.S. Air Force by Staff Sgt
(Foto Meramente Ilustrativa)

Quem também entrou na discussão foi o Japão alegando que estava com as aeronaves russas e chinesas também invadram o espaço aéreo japonês. “Confirmamos que a A50 da Rússia invadiu o espaço aéreo japonês, enquanto dois dos bombardeiros russos TU-95 e dois bombardeiros chineses H-6 voaram pelo Japão. Tomamos medidas contra a invasão”, disse um porta-voz do Ministério da Defesa do país.

Fonte de apoio: CNN / Adaptação: Aeroflap