O ministro do Transporte do Canadá, Marc Garneau, anunciou na manhã desta quarta-feira que o governo decidiu exigir a paralisação temporária do 737 MAX no país.

Os aviões dos modelos 737 MAX 8 e 9 estão proibidos de decolar, pousar ou sobrevoar o território canadense. A medida afeta as frotas da Air Canada e WestJet, que operam 24 e 13 aviões deste modelo, respectivamente.

Garneau afirmou que informou a FAA da decisão ainda nesta manhã, mas o órgão dos EUA disse que continua com sua decisão de manter os voos com o 737 MAX.

“Meus especialistas analisaram isso, e compararam com o voo que ocorreu com a Lion Air, e não há semelhanças conclusivas que excedam um certo limite com relação a uma possível causa do que aconteceu na Etiópia”, disse Garneau sobre o governo canadense ainda estar investigando semelhanças que justifiquem a paralisação total.

“Não houve absolutamente nenhuma pressão política”, disse Garneaus sobre a decisão da Transport Canada, que regula a segurança da Aviação nos EUA;