Um par de caças Rafale da Força Aérea Catari. O Catar possui pouco mais de 20 Rafales em serviço e deve enviar 12 desses jatos à Turquia. Foto: Dassault.

Os governos do Catar e da Turquia assinaram uma parceria para que a Força Aérea do Catar baseie 12 caças Rafale, nove caças Mirage 2000 e quatro cargueiros Boeing C-17 Globemaster III na Turquia por um período de cinco anos por razões de treinamento. 

A Força Aérea do Catar poderá desdobrar até 36 caças, segundo o acordo técnico apresentado no Parlamento Turco no mês passado, explica o portal Defense World. Agora os legisladores turcos devem transformar o projeto em lei. O envio dos caças à Turquia atraiu críticas de parlamentares da oposição, aponta o site. 

Segundo o portal, citando informações publicadas em site do governo turco (tbmm.gov.tr), o Chefe do Estado-Maior General da Turquia, General Yaşar Güler e sua contraparte catari, Chefe do Estado-Maior Al-Ghanim, assinaram um acordo relativo à implantação de 36 caças na Turquia em março do ano passado, permitindo que os militares do Qatar recebam treinamento dos turcos pelos próximos cinco anos, com possibilidade de extensão de um ano. O acordo também inclui a implantação de 250 funcionários do Catar na Turquia.

Apesar do número de 36 aeronaves, a publicação turca haberyildizi.com informou que 12 caças Rafale e nove Mirage 2000 seriam enviados, aponta o Defense World. O Catar também deve informar o governo turco sobre o envio das aeronaves com 60 dias de antecedência. 

Caças Mirage 2000-5EDA e DDA da Força Aérea do Catar. AO fundo, um C-17 Globemaster III pousando. Foto: Louisa Gouiliamaki/AFP.

“O acordo visa contribuir para a experiência e treinamento dos pilotos militares do Catar, permitindo que eles usem temporariamente o espaço aéreo e os portos turcos”, disse o governo turco. A Turquia, por sua vez, vai desdobrar uma Força de Reação Rápida no Catar para garantir a segurança durante a Copa do Mundo de 2022.

Na Grécia, o acordo bilateral gerou preocupação da mídia. “Se o acordo for confirmado, ele precisa de uma análise e interpretação minuciosas do lado grego, lidando com suas possíveis consequências”, escreveu o Defensepoint.gr. Em janeiro de 2021 o Governo Grego formalizou a aquisição de 18 caças Dassault Rafale da França, sendo 12 usados e seis novos, com opção para mais seis unidades. O negócio também inclui o fornecimento de mísseis antinavio Exocet e mísseis de cruzeiro Scalp.

Além disso, a Força Aérea Helênica (HAF) opera caças Mirage 2000 desde a década de 1980. Segundo a Flightglobal, a HAF possui cerca de 42 Mirages em serviço. Tanto a Turquia quanto a Grécia também possuem centenas de unidades do F-16C/D Fighting Falcon e ainda operam os antigos, porém atualizados, F-4E Phantom II.

Rafale EQ da Força Aérea do Catar. Foto: Dassault.

O desdobramento dos caças do Catar, especialmente para treinamentos, traz a vantagens aos turcos, que poderão conhecer em detalhes o mais moderno caça da Grécia. Turcos e Gregos são rivais históricos, e a rixa dos dois países já levou a enfrentamentos e abates entre os caças dos dois países. Hoje os encontros entre jatos da HAF e TuAF ainda ocorrem, mas sem irem às vias de fato. 

Recentemente, a Turquia, o Qatar e o Paquistão participaram dos exercícios Anatolian Eagle (21 de junho a 2 de julho), onde os jatos F-16 turcos realizaram missões de treinamento de combate ao lado dos jatos Rafales do Catar e JF-17 do Paquistão.

DEIXE UMA RESPOSTA