CENIPA aponta grave falha de manutenção em acidente de helicóptero que vitimou Boechat

Foto - Band/Reprodução

O CENIPA (Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) lançou hoje (29) o relatório final do acidente com o helicóptero de matrícula PT-HPG, que transportava o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci.

O CENIPA concluiu que houve uma negligência na manutenção do helicóptero Bell 206B, com diversos atrasos nos processos de manutenção. A troca do óleo, por exemplo, não era realizada há 38 meses, de acordo com os registros da ANAC, sendo que a recomendação é trocar ao menos uma vez ao ano.

A principal falha foi no compressor do motor do helicóptero. Ocorreu um entupimento na tubulação que alimenta um dos rolamentos do compressor, levando a falha do mesmo.

Dias antes o helicóptero havia apresentado um aviso luminoso, indicando a presença excessiva de limalhas de ferro no óleo do motor. Esse aviso aponta possíveis problemas no motor, que precisa ser revisado.

O Cenipa ainda apontou que o helicóptero foi proibido de voar em 2017 porque a vistoria do compressor estava vencida. Uma peça nova foi instalada, porém a antiga voltou para o mesmo lugar meses depois, de acordo com relatórios de manutenção. A ANAC e os investigadores do CENIPA acompanham esses dados através do número de série dos componentes.

Os erros de manutenção levaram a um rompimento do eixo de ligação do rotor da cauda, tirando também a potência do mesmo.

A investigação ainda apontou que no mesmo dia do acidente o helicóptero voou até uma oficina em Campinas, para verificar o aviso luminoso já citado, porém a manutenção não foi realizada, e o Bell 206B foi em seguida buscar o Boechat.


O helicóptero estava indo de Campinas para São Paulo, e pousaria na TV Bandeirantes, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo. O acidente ocorreu no dia 11 de fevereiro de 2019.

 

Informações sobre o acidente

Aeronave: O helicóptero, de matrícula PT-HPG, da fabricante Bell Helicopter, era de propriedade da RQ Serviços Aéreos Especializados LTDA. Esse modelo é um monomotor com capacidade máxima de quatro passageiros mais a tripulação.

Autorização da empresa: A empresa RQ Serviços Aéreos Especializados estava autorizada para prestar serviços especializados de aerofotografia, aerocinematografia, entre outros do mesmo ramo.

Piloto: A bordo da aeronave estava o piloto Ronaldo Quatrucci. As licenças e habilitações dele, de piloto comercial de helicóptero (PCH), estavam válidas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA