CEO da American Airlines ataca diretores da United Airlines

Foto - AP Press/Reprodução

Mesmo sem a possibilidade de demitir funcionários até setembro, devido ao novo empréstimo estatal regido por uma série de leis, a United Airlines fez uma recentemente uma declaração polêmica aos seus funcionários, confirmando demissões em breve.

E a declaração do CEO da empresa, Oscar Munoz, em uma carta aos funcionários, causou um desconforto no CEO da American Airlines, Doug Parker, que denunciou publicamente a United Airlines por desrespeitar as condições estabelecidas pelo governo dos EUA.

De acordo com Parker, a United descumpriu o acordo para que as companhias aéreas recebam ajuda financeira do pacote CARES.

O CEO da American Airlines citou que a United Airlines anunciou sexta-feira que, a partir do dia 24 de maio, vai cortar horas dos seus empregados de tempo integral para a jornada parcial.

Quem já trabalhou uma semana de 40 horas agora trabalha por apenas 30 horas, com um corte de 25% no salário de cada funcionário que entrar nessa condição.

As condições de recebimento do empréstimo da United Airlines de US$ 5 bilhões dizem que as companhias aéreas não podem cortar o pagamento dos funcionários, ou aplicar licenças involuntárias aos funcionários até pelo menos o final de setembro.

Mas Parker está errado em um ponto, ou pelo menos não achou a brecha na lei CARES para aplicar igualmente na American Airlines. Reduzir o número de horas não está quebrando tecnicamente nenhuma dessas condições, se a companhia pagar mesma quantia por hora trabalhada, no entanto, a lei limita a redução no número de horas pela metade.


Em uma entrevista coletiva, o CEO da American Airlines, Doug Parker, disse:

” Eu estava lá quando estávamos trabalhando na CARES, e essa não era a intenção ou o significado disso.”

Segundo a Forbes , ele esclareceu isso para dizer que: Discordamos da posição [da United] e, se alguém perguntar, informaremos que discordamos de sua posição”.

Em nota a United disse: Continuamos confiantes de que nossas ações anteriores estavam em total conformidade com as disposições da CBA e da Lei CARES”.

Enquanto isso, a United busca incentivar demissões voluntárias ou aposentadoria de seus funcionários. A atitude da companhia de “antecipar” a divulgação de demissões é, no entanto, considerado como um ponto anti-ético, principalmente para o complicado período que todos estão vivendo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA