Foto - Boeing/Reprodução

Nas últimas semanas Roberto Kriete, CEO da Kingsland (uma das acionistas da Avianca Holdings), ganhou espaço ao realizar uma declaração polêmica, citando que a centenária companhias estava “praticamente falida”.

Mas durante um encontro com jornalistas na última semana, em virtude de uma apresentação de um dos planos de recuperação, o atual CEO da Avianca Holdings, Anko Van der Werff, declarou que aquele assunto não procedia no contexto da empresa, que está trabalhando para se recuperar em poucos meses.

“Ele escolheu as palavras erradas em um momento informal, e alguém se aproveitou disso para viralizar e espalhar esse conteúdo. Não estamos, não pensamos em estar e não queremos pensar em qualquer processo de quebra ou recuperação judicial”, disse Anko.

Curiosamente a Kingsland, a principal acionista da Avianca Holdings, concedeu no final da última semana um empréstimo de US$ 50 milhões em pagamento de curto prazo. 

Na ocasião Roberto Kriete, Presidente do Conselho de Administração da Avianca Holdings e Controlador da Kingsland Holdings, comentou: “Desde que começou a operação da Avianca em conjunto com a United Airlines depositamos enorme confiança no Conselho de Administração e a nova administração liderada por Anko van der Werff. Estamos comprometidos em apoiar a empresa com o apoio financeiro e, também, formar uma equipe de especialistas do setor que têm uma grande paixão por esta empresa aérea. Estou certo de que a Avianca se tornará a melhor companhia aérea da América Latina, já que temos a equipe certa para esse objetivo”.

Anko van der Werff, CEO da Avianca Holdings, disse: “Este empréstimo permitirá fortalecer nosso capital de giro enquanto o reperfilamento da dívida é finalizado, e demonstra o compromisso da Kingsland com a Avianca. O plano “Avianca 2021″ já mostra resultados positivos e é essencial continuar contando com o apoio de nossos aliados Kingsland e United durante todo esse processo”.