Foto - Boeing

Em uma entrevista durante o Paris Airshow, o presidente-executivo do grupo Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que seria uma boa ideia um novo nome para o 737 MAX, da Boeing, após uma série de acidentes em poucos meses com o jato.

“A única dificuldade que temos é como convencer as pessoas a entrar em um Max, por causa do dano à reputação”, disse Al Baker.

Al Baker seguiu sugerindo que aguardava uma posição da Boeing para renomear o avião, e ressaltou que tem confiança na aeronave e continuará com suas encomendas para o 737 MAX 8.

Algumas outras companhias se anteciparam à Boeing nessa questão. Um pouco antes postamos sobre um procedimento que a GOL estava realizando, trocando a nomenclatura da aeronave na fuselagem, de 737 MAX para 737-8.

Durante o anúncio de 200 encomendas para aviões 737 MAX nesta semana, partindo do Grupo IAG, a Boeing divulgou o avião como 737 MAX no seu comunicado, enquanto o Grupo de companhias aéreas emitiu outro comunicado falando sobre sua encomenda, mas citando o avião como Boeing 737-8 e 737-10.

A Boeing não deu indicações que planeja retirar a referência ao “MAX”, no nome da 4ª geração da linha 737. A empresa ainda enfrenta dificuldades para conseguir novas encomendas, e fontes da indústria indicam que a Boeing trabalha com grandes descontos para o 737 MAX, além da Ryanair ter declarado que prefere descontos em novas compras do que indenizações por não ter a aeronave entregue na data certa.

No Paris Airshow 2019, que está ocorrendo nesta semana, a Boeing não deu extensas explicações sobre o cronograma da atualização de software da aeronave, e nem quando planeja entregar para a análise da FAA, apesar de haver uma expectativa sobre a atualização ser certificada já em outubro.

A Boeing afirmou que a equipe de testes da empresa cumpriu mais de 240 voos com a nova atualização, e nenhum problema sério foi encontrado durante os testes.

Não há uma previsão da Boeing de alterar os requisitos de treinamento de pilotos, apesar disso, algumas companhias aéreas e agências reguladores já afirmaram que vão incluir treinamentos em simulador sobre o sistema MCAS.

 

Com informações de FlightGlobal.