Certificação do 737 MAX avança e GOL planeja retorno até final de dezembro

Foto - GOL/Divulgação

A volta do Boeing 737 MAX aos céus do mundo todo é uma certeza cada vez mais concreta, entretanto resta saber quando as companhias aéreas poderão colocá-lo de novo em operação. 

A GOL é uma das principais companhias aéreas do mundo que operam o 737 MAX e tem uma malha fundamental com a capacidade operacional do avião. Os voos para Miami e Orlando a partir de Brasília e Fortaleza eram operados exclusivamente com aeronaves 737 MAX devido a sua autonomia de voo.

A companhia brasileira possui 7 aeronaves na frota fora de operação, em comunicado divulgado hoje a GOL comentou sobre a volta da aeronave.

“A Companhia finalizou renegociações com seus parceiros lessores de aeronaves, proporcionando à GOL obter reduções nos valores de arrendamentos atuais e futuros, convertendo uma parcela dos pagamentos mensais de fixos para variáveis (power-by-the-hour). Os acordos da GOL são ajustados à recuperação da demanda para o restante de 2020 e para 2021 e, também, representarão uma efetiva economia na estrutura de custos unitários da Companhia.”

“Esses contratos possuem aluguéis mais baixos no médio e no longo prazo, evitando aumento de custos com acordos onerosos de simples diferimento. A economia total estimada de fluxo de caixa nos próximos doze meses, para esses ajustes contratuais com nossos parceiros de arrendamento de aeronaves, deve ultrapassar R$ 1,2 bilhão.”

A GOL também reforçou que a volta das operações com o 737 MAX vai garantir a empresa um recuo de queima de caixa. Isso porque o novo avião consome menos combustível do que o atual 737-800, permite ir mais longe com menos combustível e com a mesma quantidade de assentos. 

A companhia aérea também publicou em sua nota aos investidores atualizações sobre o andamento sobre a nova certificação do 737 MAX. Recentemente a FAA e a EASA chegaram a detalhes finais antes de realizar a certificação e conceder a nova autorização de operação para a aeronave. 


“Em 6 de outubro, a Federal Aviation Administration (FAA) publicou um relatório preliminar do Flight Standardization Board (FSB) sobre o treinamento proposto para pilotos do Boeing 737 MAX, no qual a agência estabeleceu meia dúzia de etapas processuais que precisarão ser preenchidas antes da FAA conceder a aprovação final para as empresas aéreas novamente voarem nessa aeronave.”

“O relatório incorpora as recomendações do Joint Operations Evaluation Board (JOEB), que recentemente se reuniu. O JOEB é composto por autoridades da aviação civil dos Estados Unidos, Canadá, Brasil e União Europeia. Em 26 de outubro, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) confirmou que também está próxima de conceder sua liberação integral. A GOL espera retomar as operações com o MAX até o final de dezembro de 2020. ” Disse a GOL em comunicado.

Além das atuais aeronaves, a GOL possui ainda mais algumas aeronaves que foram fabricadas nesse tempo que o avião não está operando. Fotos pela internet, mostram que a última aeronave com a pintura da empresa é o de matrícula PR-XMR. Ao todo são mais de 13 aviões fabricados desde março de 2019, e ainda não entregues.

 

DEIXE UMA RESPOSTA