A CFM afirmou hoje durante o Farnborough Airshow 2018 que a empresa realmente quer entrar no desenvolvimento do NMA (New Mid-market Airplane).

O grande problema para a CFM é a propulsão requerida pela Boeing, na faixa de 50 mil libras, dessa forma a fabricante precisará de um motor novo, e que seja diferente do CFM Leap-1 que tem empuxo máximo de 32 mil lbs.

Ao mesmo tempo a Boeing anunciou que espera definir um design final do NMA até 2019, e evitou qualquer expectativa de apresentação do projeto ainda neste ano.

Foto – CFM

A CFM se colocará em uma concorrência com a Pratt & Whitney e a Rolls-Royce, que apostam em motores com caixa de engrenagens, enquanto a fabricante quer fazer algo com a filosofia do CFM Leap-1, visto que desenvolver algo confiável com caixa de engrenagens demandaria mais tempo da empresa, algo que a Boeing não pode esperar pois planeja entregar a primeira aeronave em 2025.

As três empresas já apresentaram suas propostas para a Boeing, em uma primeira rodada de avaliações, e a fabricante norte-americana dará uma análise sobre os conceitos nas próximas duas semanas.