O Chefe Comercial da Embraer está temendo um baixo crescimento da aviação nos Estados Unidos para os próximos anos, a declaração de John Slattery durante o evento Routes Americas, em Las Vegas, foi de muitas cautelas em relação à lucratividade das grandes companhias aéreas norte-americanas.

“As companhias aéreas são empresas que não são projetadas para lucrar 2 bilhões de dólares em um trimestre, confie em mim, não vai durar”, disse John Slattery, chefe comercial da Embraer.

Slattery também não poupou os aeroportos americanos, ele citou que a infraestrutura desses locais pode atrapalhar um crescimento exponencial das empresas, principalmente os aeroportos de operação regional que recebem as aeronaves ERJ e E-Jet da Embraer. Segundo Slattery, as condições nos aeroportos regionais são “precárias” quando comparadas com os grandes aeroportos americanos.

Por coincidência esse comentário do Chefe Comercial da Embraer vem logo após duras críticas de Donald Trump sobre a infraestrutura aeroportuária dos EUA em relação aos países asiáticos. John Slattery também aproveitou para comparar a estrutura reforçada de hub, bastante utilizado nos Estados Unidos, com a estrutura de rotas da Europa e Ásia.

De acordo com ele, o mercado de voos regionais na Ásia está aumentando muito nos últimos anos porque as operadoras se preocupam em realizar as operações de modo eficiente e confortável para o passageiro. Na Europa Slattery afirma que os aeroportos menores conseguem arrecadar dinheiro através da operação de companhias aéreas menores e de baixo custo.

O Diretor Sênior da US Travel Association, Erik Hansen, afirmou que a aviação nos Estados Unidos é realmente um sucesso atualmente, mas que a infraestrutura precisa de melhorias. O Vice-Presidente e Chefe de Receitas da Southwest, Andrew Watterson, afirmou que a única preocupação dele é a limitação do controle de tráfego aéreo nos próximos anos.

As declarações de John Slattery vêm logo após diversas companhias aéreas dos Estados Unidos como a American Airlines, Delta, Jet Blue e United apresentarem lucros acima de 1 bilhão de dólares no ano fiscal de 2016. Só a American Airlines lucrou US$ 2,7 bilhões em 2016. Já a JetBlue que não figura nem entre as 5 maiores dos Estados Unidos lucrou US$ 759 milhões em 2016.

 

Fonte – FlightGlobal