China conclui teste de pouso crucial para a primeira missão a Marte em 2020

Foto - Divulgação Reuters

A China concluiu na quinta-feira com êxito um teste crucial de pouso na província de Hebei, no norte, antes de uma missão de exploração histórica não tripulada a Marte no próximo ano.

A China está a caminho de lançar sua missão em Marte, disse na quinta-feira Zhang Kejian, chefe da Administração Espacial Nacional da China, falando com diplomatas estrangeiros e com a mídia antes do teste.

O módulo de aterrissagem de Marte foi submetido a um teste de desvio de obstáculos em um local extenso em Huailai, a noroeste de Pequim. O local estava cheio de pequenos montes de rochas para simular o terreno irregular em Marte, onde o sonda teria que navegar descendo até a superfície do planeta.

“Em 2016, a China iniciou oficialmente o trabalho da missão de exploração de Marte e atualmente todos os diferentes trabalhos de desenvolvimento estão progredindo sem problemas”, disse Zhang.

Foto – Divulgação Reuters

“O teste de prevenção de pairar e obstáculos para o módulo de aterrissagem de Marte que está sendo realizado hoje constitui uma parte crucial do processo de desenvolvimento. Conforme programado, a primeira missão de exploração de Marte da China ocorrerá em 2020.”

A China desenvolveu o poderoso foguete LongMarch 5 para transportar a sonda para Marte em 2020.

A viagem pelo espaço levará cerca de sete meses, enquanto o pouso levará sete minutos, disse Zhang Rongqiao, arquiteto-chefe do programa de exploração de Marte.


O pouso será o estágio mais difícil e desafiador, disse ele.

O mesmo foguete LongMarch 5 pretende entregar a sonda Chang’e-5 na Lua até o final de 2019 ou no início do próximo ano para trazer de volta amostras de rochas lunares.

A sonda Chang’e-4 aterrissou com sucesso no outro lado da lua em janeiro deste ano, uma primeira e grande conquista histórica para o programa espacial da China.

A China fez seu primeiro pouso lunar em 2013.

Foto – Divulgação Reuters

A China espera concluir uma estação espacial modular por volta de 2022, quando a NASA começar a construir um novo laboratório para orbitar a lua, como ponto de parada para missões em outras partes do sistema solar.

Em 2003, a China se tornou a terceira nação a colocar um homem no espaço com seu próprio foguete, depois da antiga União Soviética e dos Estados Unidos.

Desde então, corre para alcançar a Rússia e os Estados Unidos e se tornar uma grande potência espacial até 2030.

“Atualmente, a China está planejando e preparando ativamente diversos programas espaciais importantes, incluindo uma missão de retorno de amostras de Marte, missões de exploração de asteróides e muitas outras missões lunares”, disse o chefe da administração espacial.

Via – Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA