China Rússia CR929

A COMAC e a UAC, que atualmente compõem a CRAIC, prometeram que a fabricação do seu novo avião, o CR929, será iniciada ainda em 2021. O desenvolvimento do conceito continua a todo vapor, com vários testes em túnel de vento e o desenvolvimento dos motores russos.

A meta da CRAIC é começar a montagem em série de aviões a partir de 2025, mas pouco antes, começar a montagem final dos protótipos em 2024. 

A CRAIC, por sua vez, disse que resolveu as disputas entre os países sobre a participação de mercado de cada um, bem como participação com know-how e vendas do jato.

Alguns fornecedores já foram contratados, incluindo as subsidiárias da estatal chinesa AVIC e da estatal russa UAC, definindo também a participação de cada empresa na produção da aeronave. A evolução deste processo permitirá o início da fabricação de componentes ainda em 2021.

O primeiro voo comercial do CR929 continua programado para algum período entre 2028 e 2029, e depende do andamento do projeto, que pode sofrer atrasos.

O projeto é conduzido por duas estatais da China e Rússia, a Comac e UAC, respectivamente. A montagem final da aeronave será feita em Xangai, devido à fuselagem ser produzida na China. As asas da aeronave, a seção de empenagem e a cauda serão produzidas na Rússia.

Anteriormente a CRAIC anunciou que o novo conceito do CR929 se aproxima do tamanho do A330-900neo, e também vai precisar de um motor ainda mais potente, com 78000 lbs de empuxo, antes a UAC estimava um motor de 71000 lbs para a aeronave.

Apesar do tamanho maior, a estimativa de autonomia permanece a mesma (para o CR929-600), de 12000 km. De acordo com a CRAIC isso é suficiente para cumprir a maioria das rotas de longa distância, incluindo os voos da Ásia para os Estados Unidos.

A família de aeronaves incluirá versões com a fuselagem esticada (CR929-700) e com a fuselagem menor (CR929-500).

A aeronave tem agora 63,25 m (208 pés) de comprimento, disse a UAC. Isso é apenas 45 cm mais curto que o A330-900neo, apesar disso a largura da fuselagem é de quase 6 metros, maior que a concorrência e equiparável ao A350, uma aeronave de categoria superior.

DEIXE UMA RESPOSTA