China espera vender 1000 unidades do novo avião CR929

Chen Yingchun, o designer-chefe do projeto CR929, realizado em parceria da China e Rússia, declarou recentemente na Cúpula Internacional da Indústria Aeroespacial de Zhejiang 2020 que a demanda para a aeronave é alta.

De acordo com ele, há uma demanda para 10 mil novos aviões widebody até 2045, sendo que somente o CR929 deve responder por 1000 novos aviões. Ou seja, 10% do mercado.

Além disso, o CR929 poderá ser o responsável por completar a linha de aviões em companhias aéreas alvo no mercado, com a COMAC utilizando o C919 e o ARJ21 para atrair novas interessadas.

A CRAIC tem como alvo vender esse avião para companhias aéreas da China e Rússia, além de tentar obter clientes no Oriente Médio para o C919 e o CR929, como o Irã. Para isso, as duas empresas participantes do projeto apostam em utilizar o mínimo de tecnologias do ocidente.

Enquanto isso, o primeiro voo comercial do CR929 continua programado para algum período entre 2028 e 2029, e depende do andamento do projeto, que pode sofrer atrasos pela integração entre empresas da Rússia e da China.

O projeto é conduzido por duas estatais da China e Rússia, a Comac e UAC, respectivamente. A montagem final da aeronave será feita em Xangai, devido à fuselagem ser produzida na China. As asas da aeronave, a seção de empenagem e a cauda serão produzidas na Rússia.

Anteriormente a CRAIC anunciou que o novo conceito do CR929 se aproxima do tamanho do A330-900neo, e também vai precisar de um motor ainda mais potente, com 78000 lbs de empuxo, antes a UAC estimava um motor de 71000 lbs para a aeronave.


Apesar do tamanho maior, a estimativa de autonomia permanece a mesma (para o CR929-600), de 12000 km. De acordo com a CRAIC isso é suficiente para cumprir a maioria das rotas de longa distância, incluindo os voos da Ásia para os Estados Unidos.

A família de aeronaves incluirá versões com a fuselagem esticada (CR929-700) e com a fuselagem menor (CR929-500).

A aeronave tem agora 63,25 m (208 pés) de comprimento, disse a UAC. Isso é apenas 45 cm mais curto que o A330-900neo, apesar disso a largura da fuselagem é de quase 6 metros, maior que a concorrência e equiparável ao A350, uma aeronave de categoria superior.

 

DEIXE UMA RESPOSTA