porta-aviões Liaoning
Foto: Divulgação

Nos últimos dias a China está utilizando o porta-aviões Liaoning em um grande treinamento nas proximidades de Taiwan e do Japão, no Mar da China Oriental.

Mais de 100 decolagens e pousos foram realizados por caças J-15 chineses entre os dias 03 a 09 de maio, em um exercício militar que ocorreu a 160 km da ilha de Okidaito, na província de Okinawa, no Japão.

Logo depois imagens de satélites da PlanetLabs mostraram que o porta-aviões Liaoning se deslocou para águas a leste de Taiwan no início desta semana. Para isso, a embarcação cruzou pelo Estreito de Miyako, entre as ilhas japoneses e Taiwan. A primeira vez que o trajeto foi realizado pelos chineses foi em 2016, e se repetiu poucas vezes.

Localização do porta-aviões no dia 12 de maio.

A Marinha do PLA enviou o Liaoning e as embarcações para realizar um treinamento de combate realista, no mar distante do Pacífico Ocidental, declarou o capitão-sênior Gao Xiucheng, porta-voz da Marinha do PLA. Alguns especialistas apontam que a China aos poucos prepara sua capacidade operacional para um conflito na região.

O porta-aviões foi acompanhado pelo destróier Classe Tipo 055 Nanchang, com três destróieres Tipo 052D , um destróier Tipo 052C , uma fragata Tipo 054A e um navio de reabastecimento Tipo 901, de acordo com as imagens de satélite. Todo o exercício foi coordenado pela marinha do Exército de Libertação Popular da China (PLA).

“As atividades dos militares chineses desta vez podem ter como objetivo melhorar a capacidade operacional do porta-aviões e aumentar sua capacidade de realizar operações em faixas litorâneas e aéreas mais distantes”, disse o ministro da Defesa japonês, Nobuo Kishi, que relatou o alerta dos japoneses sobre a atividade militar.

Alguns aviões RC-135 da Força Aérea dos Estados Unidos e de outros modelos, operados pelo Japão, acompanharam a movimentação das embarcações e aeronaves nos últimos dias.

Curiosamente o Liaoning é um porta-aviões incomum. Ele foi o primeiro da China, e com tecnologia até recente, visto que foi lançado em 2012, ele funciona mais como um “porto” de transferência para os aviões de caça.

O Liaoning tem uma pista curta, menor em comparação com as embarcações norte-americanas. Além disso, não temos a presença de um sistema de catapulta a bordo. Deste modo, o desempenho dos caças J-15 na decolagem, a partir da embarcação, fica bastante comprometido e limita as operações com armas ou o raio de ataque dos caças.

Cerca de 24 caças J-15 podem ser transportados pelo Liaoning, que tem seu desenho bastante inspirado nos porta-aviões russos e ingleses, com uma rampa inclinada ajudando nas decolagens das aeronaves.