As Forças Aéreas da Colômbia e do Brasil estão participando de um exercício militar em Seattle, EUA, desde o dia 27 de julho, o destaque para os dois países é pelo motivo de ambos serem os únicos latino-americanos a estarem colaborando com a USAF. O exercício também conta com a participação de outras 32 nações, como por exemplo, Reino Unido, Canadá, Austrália, os Estados Unidos e outras nações.

A delegação colombiana foi bem preparada para o exercício, tudo para a Força Aérea Colombiana reforçar a capacidade de ser inter operável com outras nações e as posições ainda mais seu nível mais alto, é importante notar que a Colômbia foi um dos quatro países que levou os comandos especiais, o Esquadrão Air e o ECOEA que fez exigentes missões durante o dia e à noite, em altas altitudes e diferentes cenários.

Da mesma forma, a Força Aérea Colombiana levou uma missão paraquedismo em alta altitude com militares de outros países, foi bem como nove paraquedistas na Colômbia, sete na França e dois no Paquistão saltaram de 10000 pés (3.048 metros) acima do solo, enquanto a aeronave manteve uma velocidade de 200 quilômetros por hora, no final dos paraquedistas da missão fizeram uma formação tática durante a descida, atingindo logo após o ponto de impacto, de acordo com o plano previsto.

O exercício conta com a participação de aeronaves de transporte especiais para uso militares, cada nação levou a principal aeronave de transporte tático, a Colômbia optou por levar o CASA 295 (aeronave de fabricação espanhola, o Brasil também utiliza a mesma aeronave, porém com o nome de C-105 Amazonas).

Este tipo de exercício internacional está demonstrando ao mundo as capacidades da Força Aérea Colombiana, como ser inter operável, multi-purpose regional e referência operacional.

 

Fonte – Fuerza Aérea Colombiana