Desaer ATL-100
Foto: Desaer
O governador Romeu Zema participou, nesta sexta-feira (3/6), em Araxá, no Alto Paranaíba, do anúncio da implantação da Desaer – Desenvolvimento Aeronáutico, fabricante de aeronaves regionais com capacidade para até 50 passageiros, às margens do Aeroporto de Araxá. É a primeira empresa fabricante de aeronaves deste porte no estado.
 
O empreendimento demandará investimentos da ordem de R$ 685 milhões e vai gerar 820 empregos diretos e indiretos, com previsão de início das operações em janeiro de 2025. A primeira aeronave que será construída é um avião bimotor com capacidade para 19 passageiros, que pode ser convertida em transporte aeromédico, de tropas ou paraquedistas, patrulha e vigilância.
 
Durante atendimento à imprensa, Zema lembrou que a Desaer foi disputada por sete estados, e que mais uma vez Minas se sobressaiu pela forma com que trata o investidor. “É uma indústria que causa um grande impacto positivo na economia, pois estamos falando de uma empresa que ofertará um produto com elevada tecnologia e alto valor agregado”, afirmou.
 
Desaer
Foto: Dirceu Aurélio / Imprensa MG
A mão de obra qualificada e especializada foi outra vantagem apresentada pelo governador. “São empregos que demandam uma formação contínua. Isso faz com que outros empreendimentos, como os fornecedores, venham para a região também”, destacou.
 

Transparência

Evandro Fileno, CEO da Desaer, revelou os motivos da escolha de Minas para a instalação da unidade de produção. “Havia outros sete estados na disputa, mas escolhemos Minas Gerais pela forma amigável e transparente com que o Governo de Minas nos tratou do início ao fim das negociações. A cidade de Araxá, por sua vez, também nos ofereceu ótimas condições para a realização dos ensaios com as aeronaves”, disse.
 
Fileno explicou que a empresa já desenvolveu seu primeiro projeto de aeronave, o ATL-100, um modelo leve, com capacidade para transportar até 19 passageiros, que opera em pistas curtas e não pavimentadas e de fácil manutenção. O foco é a operação na aviação regional e em locais em que o avião é o meio mais rápido e seguro de transporte, como a região Amazônica.