Com retomada de alguns voos, Aeroporto de Brasília redobra cuidados e soluções para combater a Covid-19

A Inframerica, administradora do Aeroporto de Brasília, implementou diversas medidas para diminuir os riscos de contágio de passageiros e funcionários pelo Covid-19 no terminal aéreo. A concessionária foi pioneira em ações que trarão mais tranquilidade àqueles que precisam viajar em meio a pandemia.

Desde março, o Aeroporto de Brasília tem seguido rigorosamente as recomendações da Anvisa e Ministério da Saúde.

Em todo o terminal aéreo é obrigatório o uso de máscaras por passageiros e funcionários. Por isso, a Inframerica distribuiu aos seus colaboradores um kit-prevenção, contendo duas máscaras personalizadas e um frasco de álcool gel para carregar no bolso. A Inframerica também recomendou o uso de protetores faciais para todos os lojistas e empresas prestadoras de serviço.

Assim que chegam no Aeroporto de Brasília, os passageiros são recepcionados com comunicados e avisos sonoros que alertam sobre os riscos trazidos pelo Coronavírus.

Dispensers de álcool gel estão espalhados por diversos pontos pelo terminal e em todas as áreas administrativas. Lojas e restaurantes também oferecem álcool gel para os clientes. A reposição de sabão nos banheiros também foi intensificada.

Ao embarcar em voos domésticos, os usuários do Aeroporto de Brasília passam por um sistema de detecção da temperatura da pele medida por uma solução termográfica que processa as informações de até 30 pessoas simultaneamente. O Terminal brasiliense é o primeiro do país a adquirir o equipamento da empresa Hikvision.

Além da temperatura, o sistema também detecta o uso de máscaras de proteção e fornece as informações em uma tela presente no local. A equipe dos bombeiros civis de aeródromo da Inframerica atua no local monitorando passageiros e ajudando na conscientização sobre a doença.


O distanciamento social é percebido em toda a nova sinalização instalada no terminal aéreo. Os balcões de check-in e balcões dos portões de embarque receberam uma proteção de acrílico para garantir a proteção entre passageiro e funcionário.

As filas de check-in, portões de embarque, pontes de embarque, raio-x, entre outras, ganharam demarcações no chão que marcam 2 metros de distância entre as pessoas. Os assentos, mesas e cadeiras também foram isoladas para manter o afastamento necessário.

Os elevadores e escadas rolantes também ganharam sinalização com demarcação do distanciamento entre passageiros.

A limpeza e higienização de todo o aeroporto foi rigorosamente acentuada, principalmente em locais que o passageiro tem muito contato, como balcão de informações, balcões de check-in, totens de autoatendimento, bandejas do raio-x, mesas, cadeiras, botões dos elevadores, corrimãos, escadas rolantes, esteiras rolantes, entre outros. O produto de limpeza utilizado é o mesmo que se usa para higienizar UTIs de hospitais.

A equipe de limpeza foi treinada por militares do exército que além de ensinar táticas de desinfecção em grades áreas, também realizou uma grande higienização do terminal aéreo.

Quem desembarcar no Aeroporto de Brasília também terá a temperatura medida. O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal em parceria com a Inframerica, realizam a aferição da temperatura de todos os passageiros que chegam na capital federal. 

O Centro de Controle Operacional do aeroporto está monitorando em tempo real voos e usuários. O protocolo de ações, orientado pela Anvisa, será sempre acionado se qualquer suspeita for comunicada.

O Aeroporto de Brasília também conta com um Posto Médico 24h com equipamentos de ponta e profissionais altamente qualificados para atender passageiros e tripulantes que necessitarem de atendimento emergencial. O centro possui um convênio com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal e casos suspeitos são imediatamente encaminhados para o hospital de referência.

 

Recomendações

O Aeroporto de Brasília orienta os passageiros para não viajarem se estiverem com suspeita da doença e alerta que caso estejam viajando com febre e tosse seca, devem informar a tripulação dos sintomas e por onde estiveram visitando.

É importante contatar a companhia aérea para que o atendimento seja feito cumprindo as orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Isso diminui as chances de contágio e a equipe, tanto do aeroporto quanto da própria Anvisa, ficam preparadas para atender o passageiro com a segurança necessária.

O Ministério da Saúde orienta a lavagem frequente das mãos com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Em todos os banheiros do terminal aéreo está à disposição sabão líquido que é reposto constantemente. Entre outras medidas divulgadas estão:

  • Usar máscara em locais públicos;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

 

DEIXE UMA RESPOSTA