A SpaceX lançou na tarde de hoje o seu foguete Falcon Heavy, o mais potente do mundo atualmente. O lançamento ocorreu depois da empresa adiar duas vezes o horário previsto, devido ao vento em alta altitude, capaz de atrapalhar a trajetória do foguete.

Os 27 motores do foguete queimaram sincronizados, gerando uma propulsão equivalente a disponibilizada em 14 aviões Boeing 747-8. Rapidamente o foguete ganhou altitude e aumentou sua velocidade.

Acompanhe a sequência de lançamento nas imagens da galeria abaixo:

Boa parte da excelente performance de subida é devido ao tipo de carga, o CEO e fundador da SpaceX, Elon Musk, enviou um Tesla Roadster para uma órbita heliocêntrica entre Marte e o Sol. O maior peso foi do combustível, para cumprir a missão até Marte, que exige atingir a velocidade de escape da Terra, de aproximadamente 11,2 km/s. Detalhe, além da SpaceX, o Elon Musk também é CEO e fundador da Tesla.

No painel do Tesla Roadster o CEO da empresa colocou um aviso. “Don’t Panic” (não entre em pânico, em português).

O lançamento foi realizado a partir do Pad 39A do Kennedy Space Center, o mesmo usado para as missões Apollo da NASA e os voos do ônibus espacial, no Kennedy Space Center da agência americana NASA em Cabo Canaveral, Flórida.

O tradicional pouso da SpaceX deu parcialmente certo, os dois boosters pousaram em terra firme, no Kennedy Space Center, e o core foi perdido em uma tentativa de pouso no droneship, uma espécie de balsa para pouso do foguete Falcon.

Os funcionários da SpaceX comemoraram arduamente cada etapa do lançamento concluída. A imagem acima foi durante a separação dos boosters.

A empresa transmitiu o evento ao vivo, através do seu site, canal do Youtube e página do Facebook.

O carro ficará em uma órbita de transferência com apogeu de 7000 km, antes de seguir rumo ao cinturão de Van Allen, onde a SpaceX ligará os motores para o objeto seguir rumo à Marte. Veja o vídeo acima, do Tesla Roadster em órbita, com o boneco Starman.

O lançamento já foi adiado várias vezes por problemas que a SpaceX encontrou para sincronizar os 27 motores do foguete, que é composto por dois boosters e um primeiro estágio, chamado de Core, todos similares ao Falcon 9, os motores também são semelhantes. Com isso a SpaceX aproveita a comunalidade entre os foguetes para agilizar seu processo de produção.

A parte boa mesmo é a capacidade do Falcon Heavy lançar satélites pesados para a órbita geoestacionária, atualmente o Falcon 9 até lança um satélite de até 8000 kg para a GEO, mas não consegue pousar, descartando todo o foguete. Com o Heavy será possível lançar até 3 desses satélites e retornar para a Terra como a SpaceX já está acostumada a fazer.

A parte de reuso do foguete é importante, visto que o baixo preço de lançamento obtido pela SpaceX é basicamente por conseguir reutilizar o primeiro estágio e a carenagem de proteção da carga.

Sua performance para levar até 53 toneladas em órbita baixa (LEO) também classifica o foguete da SpaceX como o mais poderoso disponível, até a chegada do SLS.

 

Veja o lançamento no vídeo abaixo: (a partir do minuto 29:30)