Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Boeing 747-400 decolando Aeroporto de Twente
Foto: Twente Airport

Decolou ontem (2) do aeroporto de Twente, na Holanda, o último Boeing 747-400 de matrícula D-ABTL da Lufthansa que estava estocado no aeroporto desde junho de 2020, o voo DLH1ENS seguiu para o Aeroporto de Frankfurt, onde a companhia realizará alguns ajustes finais no processo de despreservação da aeronave. 

https://twitter.com/twenteairport/status/1439955765570293761


D-ABTL decolando de Twente, Vídeo: Bram van der Sluis/Reprodução

Futuro incerto após o pouso em Twente:

Na época, a Lufthansa viveu um drama ao estocar seis unidades do 747-400 no aeroporto de Twente, pois as autoridades locais que regulamenta os transportes alegaram que aviões do porte do 747 não poderiam deixar o local, pois o aeroporto não oferecia condições de segurança para a operação do Jumbo, já que o aeroporto de Twente é na maioria das vezes o destino final de aeronaves que serão desmontadas. 

Felizmente, o aeroporto de Twente e as autoridades holandesas conseguiram fechar um acordo para garantir a decolagem dos seis Jumbos, o que acabou acontecendo ainda em 2020, quando três unidades da Rainha dos Céus seguiram para Frankfurt, se despedindo da companhia alemã em seguida, quando foram enviados até o aeroporto Mojave, nos Estados Unidos.

Contudo, ao contrário do Airbus A380, a Lufthansa manterá o Boeing 747-400 em operações regulares em para atender a crescente demanda por viagens aéreas, ocasionado pelo avanço da vacinação contra a covid-19, além da abertura de fronteiras. 

Uma das poucas companhias aéreas a manter o 747-400 operacional em sua frota, a Lufthansa manterá oito unidades do modelo voando até meados de 2023, onde o jato cederá o seu lugar ao Boeing 777X, avião que tem sofrido inúmeros atrasos no seu cronograma. 

Inicialmente, os planos da Lufthansa é operar o 747-400 nos voos para Dallas, Mumbai, Bangalore, Washington e Toronto, não descartando a possibilidade do quadrijato aparecer no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA