A Azul Linhas Aéreas está realizando nos últimos dias diversos voos de familiarização dos tripulantes com sua nova aeronave, o Embraer E195-E2.

A aeronave de matrícula PR-PJN realizou no último dia 03 de outubro um voo de transferência de Confins, onde foi nacionalizada, para Campinas, principal hub da Azul. Onte (07) o mesmo avião realizou voos de Campinas para Porto Alegre, e da capital gaúcha para Curitiba, onde prosseguiu para Campinas (VCP).

Hoje (08) a mesma aeronave realizou um voo de Campinas para Belo Horizonte (CNF), e está, no momento do fechamento dessa publicação, realizando um voo para Porto Alegre (POA).

Acompanhe a aeronave no FlightRadar 24 Clicando Aqui.

Todos esses voos são somente para treinamento da tripulação, que boa parte deriva dos E-Jets de primeira geração.

A companhia espera fazer o primeiro voo comercial do E195-E2 nos próximos dias, após o treinamento de tripulantes e o ajuste para incorporar o avião na sua malha. O primeiro voo será entre Viracopos e Brasília, de acordo com a afirmação do Presidente da Azul, John Rodgerson, na entrega da aeronave, que ocorreu em setembro.

A aeronave está equipada com 136 assentos em classe econômica, e distribuição 2-2, algo possibilitado pela expansão da fuselagem realizada pela Embraer. Em comparação com um E195 de 1ª geração, que tem 38,65 metros de comprimento, o novo E195-E2 tem 41,5 metros de comprimento.

A envergadura também aumentou de aproximadamente 28 metros (1ª geração), para 35,1 metros, e agora fornece um melhor desempenho para o novo E195-E2.

O E195-E2 pode operar no Aeroporto Santos Dumont, localizado no Rio de Janeiro, e a primeira rota comercial a ser operada pela nova aeronave será entre Campinas (Viracopos) a Brasília, em outubro deste ano.

A partir de janeiro os E195-E2 terão internet via satélite a bordo, com distribuição na cabine por Wi-Fi.

Conhecida por ser uma cliente de aviões da Embraer, desde a sua fundação, a Azul encomendou um total de 51 jatos E195-E2, e se destaca como a cliente de lançamento deste modelo em todo o mundo.

A Azul deve receber até o fim de 2019 cerca de seis aviões E195-E2, e estes vão ajudar a companhia a atingir 55% da oferta de assentos através de aeronaves de nova geração, diminuindo os gastos da empresa com combustível.

 

Atualização do Cockpit

O cockpit do E2 apresenta avançada aviônica integrada Honeywell Primus Epic 2.

Juntamente com os controles fly-by-wire, os sistemas trabalham juntos para melhorar o desempenho da aeronave, diminuir a carga de trabalho do piloto e reforçar a segurança de voo. Note a presença do tradicional manche da Embraer, para padronizar os controles com a 1ª geração.

Os pilotos da primeira geração de E-Jets precisam de apenas 2,5 dias de treinamento e sem a necessidade de um simulador de voo completo para pilotar o E2, o que diminui a carga de treinamento e economiza tempo e dinheiro para as companhias aéreas. 

 

Economia de combustível

O Embraer E195-E2 é equipado com dois motores PW1900G.

Além desse acréscimo de assentos, o E195-E2 não cobra nada a mais em consumo para oferecer essa capacidade extra, ao contrário, ele proporciona uma economia de combustível na ordem de 15% comparando com a geração anterior e uma redução de custo de transporte por assento ainda maior, de até 26%, devido ao maior espaço interno.

“Mais de 500 dos nossos 870 voos diários ainda são realizados pela primeira geração [dos E-jets]. No futuro, todos eles serão realizados pelo E2, resultando em um custo 14% menor e 10% a mais de receita em cada voo”, disse David Neeleman, um dos fundadores da Azul, durante uma entrevista.

O novo avião da Azul deverá começar a operar voos comerciais na companhia em outubro deste ano.

O E195-E2 apresenta novos motores de alto desempenho do modelo PW1900G, asas completamente novas, fly-by-wire completo e um novo trem de pouso. Em comparação com a primeira geração do E195, 75% dos sistemas da aeronave são novos.