Foto - China Daily/via REUTERS

A Comac já iniciou a fase que finalmente vai definir os conceitos utilizados na fuselagem do novo avião widebody, produzido em parceria com a Rússia. 

A definição dos materiais e também das soluções técnicas é determinante para os fornecedores terem uma noção sobre a produção.

De acordo com um comunicado emitido pela CRAIC, cerca de 29 empresas foram convocadas, tanto as com sede na China como as estrangeiras, para uma reunião que ocorreu no dia 27 de abril.

A parte de engenharia será toda formulada pela UAC, na Rússia, enquanto a Comac, na China, cuidará do fornecimento dos componentes e das vendas dos fornecedores para a CRAIC, uma empresa binacional formada entre a Rússia e a China.

Com a parte estrutural já sendo definida, a CRAIC também vai receber ainda neste mês uma proposta da GE e Rolls-Royce para os motores do novo avião, provavelmente baseados em motores do 787.

 

Variantes

O novo avião receberá um nome tipicamente da Comac, ele se chamará CR929, e terá três variantes no total com alteração de tamanho entre elas, transportando de 250 a mais de 300 passageiros. Esse é mais um claro indício que o avião vem para substituir o Boeing 787 pelo menos nas companhias aéreas da China.


  • O CR929-500: É a menor versão, conta com capacidade para 250 passageiros em três classes, na configuração típica da Comac. A autonomia máxima será de 14000 km em informações preliminares.
  • O CR929-600: É uma versão intermediária, com capacidade para transportar até 280 passageiros em três classes. A autonomia máxima será de 12000 km.
  • O CR929-700: É a versão de maior capacidade, leva até 320 passageiros em três classe. Com o alcance de 10000 km, pouco se comparado com o 787-10.