COMAC C919

A China continua avançando com seu projeto do C919, e neste sábado (14/05) realizou o primeiro voo de uma aeronave de produção em série, e que será entregue para uma companhia aérea cliente do projeto.

A COMAC disse que o piloto e os engenheiros realizaram todas as tarefas pré-definidas durante o voo de 182 minutos, e a aeronave está em boas condições. Toda a operação foi realizada no Aeroporto Internacional de Pudong, em Xangai, com decolagem às 06h52 (horário local) e pouso no mesmo aeroporto às 09h54.

O avião de matrícula B-001J realizou um curto circuito de testes, sobrevoando o mar e variando sua altitude entre 5000 e 15000 pés.

Continua depois do anúncio

Por agora a meta de certificação do C919 pode apontar para 2022, se nenhum problema ocorrer, devido ao extenso programa exigido pela CAAC. Isso distancia bastante da meta divulgada anteriormente pela COMAC.

A China Eastern Airlines, que é estatal, disse anteriormente que espera receber seu primeiro C919 até o final do ano, dois em 2022 e mais dois em 2023. Logo, a produção ainda será em pequena escala nos primeiros anos do C919 no mercado.

Continua depois do anúncio

O COMAC C919 é bem semelhante com o A320 da Airbus, medindo 38,9 metros de comprimento, 35,8 metros de asa, altura de aproximadamente 12 metros e largura de cabine de 3,9 metros. Cada unidade pode ter um custo ao cliente de US$ 99 milhões, abaixo dos concorrentes.

COMAC C919
Foto – COMAC/Reprodução

No geral está disposto 3 versões para compra que alcança de 156 passageiros até 174 quando em configuração de única classe com alta densidade. A aeronave da COMAC tem uma autonomia de 4075 km. Uma versão de longo alcance pode voar até 5555 quilômetros.

O seu projeto tem participação de empresas americana e europeias para construir diversos sistemas da aeronave, outro passo para a ocidentalização da COMAC. Os motores, por exemplo, são fabricados pela CFM, da mesma linha Leap, que equipa o Airbus A320neo e o Boeing 737 MAX.

Continua depois do anúncio

Essa é a grande aposta da empresa para concorrer com o Boeing 737 MAX e o Airbus A320neo. A aeronave já acumula mais de 800 encomendas, todas por companhias aéreas da China.