Nessa sexta-feira (20), o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, visitou o Pentágono americano, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, em Washington (EUA).

O Comandante se encontrou com o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos Estados Unidos, General Charles Q. Brown Junior. O americano é ex-comandante das forças aéreas centrais e ex-vice-Comandante do Comando Central estadunidense. A reunião visou estreitar laços institucionais.

Ainda em visita ao país americano, o Comandante da Aeronáutica participará, em Colorado Springs, do Space Symposium, principal encontro da comunidade espacial global. 

A cooperação bilateral entre os dois países é antiga e remete à Segunda Guerra Mundial. O objetivo da parceria é abrir caminho para que as duas forças aéreas desenvolvam futuros projetos conjuntos alinhados com o mútuo interesse das partes, abrangendo a possibilidade de aperfeiçoar ou prover novas capacidades militares.

Dentre os assuntos tratados, os Oficiais-Generais abordaram a cooperação operacional, aumentando a interoperabilidade entre os países, que deve ser ampliada com a chegada das primeiras unidades do novo caça brasileiro, o F-39 Gripen.

O avião poderá participar, quando já operacional, da Red Flag, um avançado exercício de emprego do Poder Aéreo, realizado pela Força Aérea Americana, com países amigos, voltado para o treinamento no nível de Unidades Aéreas.

As autoridades também abordaram a possibilidade de aumentar a interconexão e o intercambio de pessoal, como a atuação conjunta de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), além de assuntos relacionados às áreas de ciência & tecnologia, e aeroespacial.

 

Exercício Conjunto (EXCON) Tápio

Um exemplo de cooperação entre as duas Forças Aéreas ocorrerá durante o EXCON Tápio. Neste sábado (21), duas aeronaves C-17 Globemaster da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) têm previsão de pousar na Base Aérea de Campo Grande (MS).

Os aviões transportam dois helicópteros e efetivo americano que participarão do Exercício Conjunto Tápio 2021.

A presença de nações amigas neste tipo de treinamento é uma oportunidade para o intercâmbio de experiências e desenvolvimento doutrinário da Força Aérea Brasileira (FAB), contribuindo para possíveis participações do País em missões previstas nos acordos de paz da Organização das Nações Unidas (ONU).

DEIXE UMA RESPOSTA