Companhias aéreas da Skyteam apoiam a realização de testes rápidos da Covid-19 em voos internacionais

Aeronave russa SuperJet em operação pela Aeroflot.

A SkyTeam apoia a solicitação da Associação Internacional dos Transportes Aéreos (IATA, na sigla em inglês) para a realização de testes de COVID-19 padronizados antes do embarque. Em um momento de crise no setor, a SkyTeam e suas 19 associadas defendem o aprimoramento e a implementação de protocolos de testagem, tanto antes da partida quanto no destino, quando necessário, para permitir a reabertura segura das fronteiras e oferecer uma alternativa eficaz às quarentenas.

A aliança acredita que os testes rápidos de COVID-19 escalonáveis e confiáveis, adotados em cooperação com as autoridades aeroportuárias locais e órgãos governamentais, fornecerão a garantia necessária para reabrir as fronteiras, oferecendo aos clientes uma tranquilidade maior.

“Voar é o motor da economia global. Com o número de passageiros internacionais 92% menor em relação ao ano passado, há uma necessidade urgente de promover a recuperação dos negócios, restaurando a confiança dos clientes nas viagens aéreas por meio de uma solução de teste padronizada globalmente”, disse Walter Cho, presidente do Conselho da Aliança SkyTeam.

“Os exames nos passageiros beneficiariam não apenas nossos parceiros, mas todas as companhias aéreas e a indústria de viagens em geral, ao fornecer a clareza necessária para reconquistar a confiança do viajante. Isso se soma às medidas de limpeza rigorosas que os associados SkyTeam já adotaram de acordo com nosso compromisso SkyCare&Protect, de modo a garantir que voar seja o mais seguro possível”, afirma Kristin Colvile, CEO da SkyTeam.

A testagem padronizada e precisa de passageiros aprimoraria ainda mais o programa extenso de iniciativas de segurança pessoal SkyCare&Protect, posto em prática pelos 19 membros da SkyTeam no início de 2020 para contribuir para a proteção de clientes e funcionários.

Trata-se de um programa abrangente, com 15 práticas de saúde e higiene, incluindo, mas que não se limitam, a: desinfecção mais frequente das aeronaves; filtros HEPA instalados nos aviões; uso obrigatório de cobertura facial por passageiros e funcionários; acesso frequente a estações de desinfetantes para as mãos e lenços; e marcadores de distanciamento, entre outras.

 

Via: SkyTeam


DEIXE UMA RESPOSTA