Foto - Divulgação

A companhia aérea de lazer alemã, Condor, entrou em colapso financeiro no final do ano de 2019 juntamente com a falência do grupo Thomas Cook, e desde então a companhia se encontra em dificuldades. Havia expectativa de venda da companhia alemã no inicio de 2020, entretanto os planos foram frustrados com a chegada da pandemia.

Interessada em adquirir a Condor, a polonesa LOT, confirmou a intenção de compra em janeiro de 2020. Porém logo com a chegada da pandemia e consequentemente a crise na aviação, os planos de aquisição ficaram inviáveis. 

Agora o presidente-executivo da Condor Ralf Teckentrup, acredita que não é um momento propenso para vender uma companhia aérea, e acredita que o negócio com a Condor não aconteça antes de 2022. 

“Não vejo que teremos um processo de investidor nos próximos 12 meses. Atualmente não é um bom momento para vender uma companhia aérea.” Disse o executivo.

Mesmo sem grandes perspectivas para captar investidores a curto prazo, o presidente disse que ainda há um negócio em andamento. Disse ainda que a concretização do negócio dependerá de como a aviação continuará reagindo diante da crise.

A companhia aérea Condor, conseguiu se sobressair da crise na matriz da Thomas Cook e conseguiu se manter operando devido ao empréstimo do governo alemão em 2019. Em abril desse ano, devido a crise na aviação, a companhia recebeu mais um aporte do governo no valor de € 550 milhões (US$ 595 milhões).

Atualmente a Condor está operando com a capacidade de 10 a 15% do nível pré-Covid, segundo seu presidente. O executivo ainda garante que a empresa está saudável e que está otimista quanto ao futuro da aérea. 

Teckentrup prevê que a vacina contra a Covid-19 seja aplicada na população em breve, o executivo prevê ainda o aumento de capacidade da Condor. Ele espera anunciar novos destinos na Europa fora do Hub em Zurich. O que poderia ocasionar um aumento de capacidade para até 75%.

A Condor conseguiu entrar em acordo com todos seus funcionários para evitar demissões e processos trabalhistas. A companhia se comprometeu a não demitir nenhum funcionário até pelo menos dezembro de 2021.

 

DEIXE UMA RESPOSTA