Antonov An-225 Maior Avião do Mundo
Foto: Antonov

Bem vindo ao resumo semanal de notícias do Portal Aeroflap. Aqui listamos para o nosso público os 10 assuntos principais da aviação nos últimos 7 dias, bem como nossos melhores artigos da semana.

Para essa postagem consideramos as matérias publicadas entre o período de 19 de junho a 25 de junho, exatamente sete dias, e descontando o dia anterior ao de publicação do resumo, que é sempre aos domingos aqui no Portal Aeroflap.

Receba as principais notícias da aviação diretamente no seu TELEGRAM, em tempo real. Participe do nosso grupo Clicando Aqui.
Para participar no Whatsapp Clique Aqui.
 

Vamos começar com os principais assuntos?

 

1. Itapemirim cancela voos por duas vezes, a poucos dias de iniciar seus voos

Itapemirim ITA Airbus A320
Foto: Gisele Orquídea/Aeroflap

No dia 20 de junho publicamos que a Itapemirim estava começando a cancelar voos dos clientes, em um reajuste de malha da empresa.

Diversos passageiros da companhia tiveram seus voos em julho e nos meses seguintes cancelados, gerando protestos nas redes sociais pelo atendimento deficiente da companhia para resolver a situação.

Em um e-mail aos nossos redatores, que compraram passagens aéreas pela Itapemirim, a companhia justificou o cancelamento, e ainda deu uma passagem aérea de cortesia para os afetados, além de, logicamente, cumprir com o dever de reembolsar ou reagendar para qualquer data os voos cancelados.

E desde a sexta-feira (25) desta última semana, a Itapemirim voltou a cancelar voos dos clientes, também oferecendo reacomodação ou reembolso da passagem aérea. 

A Itapemirim planejava ter pelo menos cinco aviões para iniciar os seus voos no final deste mês, no dia 30 de junho. No entanto, a aérea só tem disponível no momento dois aviões com a sua pintura, a quase 7 dias do início das operações. Os voos comerciais, no entanto, devem começar com três aviões.

Veja mais Clicando Aqui.

Na mesma semana, a certificação da companhia também virou pauta na Câmara dos Deputados sobre as regras adotadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para empresas obterem o direito de explorar o serviço de transporte aéreo no Brasil.

Veja mais Clicando Aqui.

 

2. Embraer promete lançar novo turboélice em 2022

Embraer Turboélice
Foto: Embraer

Em um Webinar de entrega do primeiro E195-E2 da Helvetic, Arjan Meijer, presidente-executivo da divisão de Aviação Comercial da Embraer, declarou que a empresa planeja lançar o seu turboélice ainda em 2022, se assim for possível.

“A Embraer ainda está muito focada no segmento. Ainda estamos trabalhando em um turboélice e esperamos lançar o programa em 2022”, disse Arjan Meijer.

Maijer ainda destacou que a Embraer promete trazer uma aeronave muito eficiente ao mercado de aviões turboélices. A aeronave deve iniciar os voos comerciais até 2028, de acordo com presidente.

“Ele realmente se destacará dos produtos que existem hoje”, disse Meijer, ressaltando as novas tecnologias prometidas pela Embraer para o segmento.

Na projeção lançada anteriormente pela Embraer, a fabricante aposta em um design refinado, derivado dos E-Jets de 2ª geração, para conseguir uma significativa economia de combustível em relação aos concorrentes, mesmo que a opção seja para a propulsão convencional já existente no mercado.

O novo turboélice deve levar cerca de 70 a 100 passageiros, e ter atualizações significativas em aerodinâmica e no sistema de propulsão. A meta é criar uma aeronave de menor emissão de CO2 para voos de curta distância, e superar os concorrentes, como a ATR com um produto que fornece 20% menor queima de combustível.

 

3. Azul lidera novamente no mercado doméstico; Copa, LATAM e TAP se destacam no internacional

A ANAC divulgou recentemente os dados relativos ao período de maio de 2021 no transporte aéreo Brasileiro, um mês que apresentou recuperação de voos, em relação ao mesmo período do ano passado e abril de 2021.

Como podemos ver no infográfico acima, a Azul continuou na liderança, com 36,6% do mercado de voos doméstico, contudo, esta está mais apertada, com a LATAM registrando 32,3% de participação e a GOL novamente na 3ª colocação com 30,7% de participação.

Por outro lado, dos voos internacionais, a Copa Airlines foi a empresa que mais apostou neste mercado no Brasil. 

De acordo com os dados da ANAC, a Copa Airlines transportou 32 mil passageiros em seus voos, sendo que a TAP transportou 21 mil passageiros. De companhias “nacionais”, a LATAM figura entre as duas, com 25 mil passageiros transportados em voos internacionais.

A Air France aparece na quarta colocação, ou na segunda, quando consideramos somente companhias aéreas da Europa. Foram 7 mil passageiros que voaram através da companhia francesa.

Os dados são curiosos devido ao complicado período de 2ª onda da Covid-19 que o Brasil enfrentou no último mês, com diversas companhias cancelando os seus voos. Mesmo com as restrições de entrada na Europa, a TAP e a Air France estão transportando uma quantidade significativa de passageiros.

 

 

4. Mais voos domésticos e internacionais para o Brasil

Esta semana foi com certeza da divulgação de novos voos, ou aumento da frequências de voos já existentes, algo que mostra a recuperação da aviação em todo mundo, e também no Brasil.

Foto – Azul Linhas Aéreas/Gianfranco Beting

A Azul criou uma rota entre a capital de Mato Grosso (Cuiabá) e Curitiba, além de aumentar as frequências diárias de voos de Cuiabá para Sinop, Campo Grande e Porto Velho.

Em 02 de agosto, a rota Cuiabá-Sinop passa a contar com uma frequência no chamado pernoite, ampliando as opções para os Clientes do interior mato-grossense. Um mês depois será a vez de a companhia iniciar a operação regular, duas vezes por dia – nos períodos da manhã e tarde -, de Cuiabá para Curitiba.

Outros dois mercados também ganharão reforço a partir de setembro: Cuiabá-Porto Velho, passando a dois voos diários, e Cuiabá-Brasília, também alcançando uma operação de duas frequências ao dia. Em outubro, será a vez da ligação entre a capital de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul receber reforço, com mais uma ligação diária.

Airbus A350 Turkish

Do outro lado, nos voos internacionais, a Turkish Airlines disse que operará com quatro voos semanais entre o Brasil e a Turquia. As frequências São Paulo (GRU)-Istambul (IST) acontecem às segundas, quartas, sextas e sábados, com partida do Aeroporto internacional de Guarulhos às 03h40 e chegada a Istambul às 22h25.

Os voos de retorno Istambul-São Paulo, por sua vez, são operados às terças, quintas, sextas e domingos, com decolagem às 10h20. A chegada a São Paulo está programada para 17h20. Desde abril passado, os voos da Turkish Airlines entre o Brasil e a Turquia são realizados pelo novo Airbus A350-900.

A LATAM Brasil decidiu estender até agosto, com duas frequências semanais, a operação do voo direto São Paulo-Cancún, reinaugurado em 4 de junho. A decisão foi tomada após a companhia registrar ocupação média de 95% na nova rota para o México em junho e de já ter vendido 70% das passagens dos voos programados para o destino caribenho em julho. O voo é operado a bordo do Boeing 767, que acomoda 30 passageiros na classe Premium Business e outros 191 em Economy. 

O Grupo Air France-KLM divulgou a sua malha aérea atualizada para os próximos meses, com destaque para a retomada do voo diário da Air France entre São Paulo (GRU) e Paris (CDG) a partir de 28 de junho.

Atualmente com cinco frequências semanais, a aérea francesa aumentará em aproximadamente 30% a oferta de assentos na ligação entre as capitais, chegando a 4,5 mil por semana com o A350-900, que transporta até 324 passageiros. A novidade representa o retorno gradual da disponibilidade nesta rota.

A companhia francesa também espera retomar em outubro os voos entre Paris e Fortaleza, um importante 3º destino da companhia no Brasil. O avião responsável por esta rota, de acordo com o site, é o Boeing 787-9. 

 

5. Nella promete iniciar operações com aeronaves Airbus A320

Na noite do último domingo (20) o Canal ASA – Aviation, Space & ATC entrevistou o CEO da Nella, Maurício Souza, que juntamente do diretor de operações, John Long, divulgou as novidades sobre a nova empresa.

Em uma informação compartilhada anteriormente, a empresa espera trazer ainda em 2021 três aviões Airbus A320. Agora, as datas já estão pré-estabelecidas pela Nella.

O primeiro avião pode chegar em agosto, de acordo com John Long, diretor de operações. A segunda aeronave chega em setembro deste ano, seguido do terceiro A320, que chega em novembro.

Todos os aviões serão direcionados para o Aeroporto de São José dos Campos, e como a Itapemirim, a Nella diz que utilizará os serviços da Digex para pintura das aeronaves e adaptações.

De acordo com Long, outros aviões da frota chegam em 2022, até mesmo os regionais da ATR, já divulgados pela empresa anteriormente. Maurício Souza aproveitou para complementar a informação falando sobre o Boeing 737-800F na frota de carga, o avião que já operou na GOL chega neste ano, porém sem data prevista.

Veja mais Clicando Aqui.

 

6. Aeroporto de Congonhas estará pronto para operações internacionais de aviação executiva em outubro

Foto – Embraer/Divulgação

A Infraero está realizando obras de reforma e adequação de algumas áreas do Aeroporto de São Paulo/ Congonhas para permitir a operação internacional da aviação geral executiva. Iniciados no começo em junho, os trabalhos seguem em ritmo acelerado e a previsão é de estarem concluídos no próximo mês de outubro. 

Os investimentos são da ordem de R$ 2,5 milhões, oriundos do Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac). 

O projeto do terminal internacional da aviação executiva prevê instalações para a Polícia Federal, com escritório e salas de inspeção, alfândega da Receita Federal (incluindo área de catering e depósito de bens apreendidos), Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com salas de atendimento, higienização e confinamento.

Outras melhorias são as instalações sanitárias, copa, lounge e acomodações requeridas para o conforto dos passageiros e o adequado desempenho das atividades.

A TAM Aviação Executiva disse que está pronta para iniciar as operações internacionais a partir de Congonhas.

 

7. Explosão de teste com novo porta-aviões americano registra terremoto de 3.9 na Escala Richter

No primeiro evento explosivo dos testes, um carga de 40 mil libras foi detonada ao lado do USS Gerald R. Ford. Foto: USN.

No dia 18 de junho a Marinha dos EUA (USN) deu início aos testes de choque com seu mais novo porta-aviões nuclear, o USS Gerald R. Ford (CVN-78).

A primeira explosão do Full Ship Shock Trials (FSST), ou simplesmente teste de choque, foi registrada como um tremor de magnitude 3.9 na Escala Richter pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos, a cerca de 160km da costa da Flórida. 

A USN detonou um explosivo de 40 mil libras (cerca de 18.1 toneladas) ao lado direito da embarcação. Os FSST são testes de grande importância para embarcações de novas classes, como é o caso do CVN-78, o primeiro da classe Gerald Ford que terá um total de cinco porta-aviões. O CVN-79, USS John F. Kennedy, segundo porta-aviões da nova classe, está previsto para ser entregue à Marinha em 2022. 

Foto: USN.

Nos FSST, todos os equipamentos e sistemas das embarcações são testados contra uma grande onda de choque causada por um evento explosivo que ocorre perto do navio, a fim de comprovar a resistência dos componentes e tripulação antes do novo equipamento ser enviado para o serviço militar. Os testes também dão uma ideia de como a embarcação se comporta em eventos como esse. 

 

8. GOL vê demanda em alta, e promete mais aviões 737 MAX para 2021

Boeing 737 MAX GOL

A GOL Linhas Aéreas realizou ontem (24) um evento online com os investidores da empresa, para apresentar alguns pontos sobre a recuperação de demanda após a crise, bem como as opiniões dos executivos 

De acordo com o presidente do conselho de administração da GOL, Constantino de Oliveira Junior, a demanda já estará retomando nos voos, no entanto, a que mais demorará a retomar será a corporativa, que permite a companhia aumentar o valor médio das passagens aéreas comercializadas.

“As vendas cresceram nas últimas seis semanas. A vacinação tem criado um ambiente de confiança entre nossos consumidores”, disse Eduardo Bernardes, vice-presidente de vendas e marketing da GOL.

De acordo com Constantino, a demanda corporativa deverá ser igual ao período antes da pandemia até o primeiro trimestre de 2022. Em 2021 esta ainda deve se manter em queda.

A GOL espera terminar 2021 com 129 aviões na sua frota. A companhia disse que deve receber mais 8 aviões Boeing 737 MAX neste ano, completando 18 aeronaves deste modelo na frota.

A Boeing já fabricou 22 aeronaves 737 MAX 8 para a GOL, sendo que as entregas deverão ser realizadas entre 2021 e 2022.

Desses aviões cerca de 110 devem estar em operação no final do ano, desta forma, somente 19 aviões estarão em solo, estocados ou em manutenção. A frota, por sua vez, vai diminuir em 9 aeronaves, na comparação direta com o final de 2019.

 

9. Airbus: No futuro aeroportos podem produzir o próprio combustível dos aviões

A Airbus apresentou nesta semana o seu conceito de produção de hidrogênio pelos próprios aeroportos, como um avanço na sua questão de produzir aviões movidos a hidrogênio.

Espera-se que o uso de hidrogênio para alimentar as aeronaves futuramente não apenas reduza significativamente as emissões no ar, mas também ajude a descarbonizar as atividades de transporte aéreo em solo.

A necessidade deste processo é clara. As atividades controladas por aeroportos representam cerca de 2-3% das emissões totais da indústria da aviação. Isso corresponde à aproximadamente 15-20 megatons de emissões de CO₂ por ano em todo o mundo.

 
Airbus Aeroporto Hidrogênio
Foto: Airbus

Por esse motivo, os aeroportos estão começando a repensar como suas infraestruturas poderiam ser projetadas e operadas para reduzir sua pegada ambiental global. Uma opção promissora é construir um ecossistema aeroportuário exclusivo tendo hidrogênio no centro das operações.

Em 2020, a Airbus lançou o “Hydrogen Hub at Airports” para ajudar os aeroportos a refletirem sobre como fazer isso. O conceito pretende lançar pesquisas sobre requisitos de infraestrutura para futuras aeronaves a hidrogênio, bem como operações aeroportuárias com baixas emissões de carbono, em toda a cadeira de valor.

Várias autoridades aeroportuárias, companhias aéreas e fornecedores de energia já se comprometeram a participar. Este conceito da Airbus, em parceria com outras duas empresas, pode mudar totalmente a cadeia de fornecimento de combustível para as aeronaves, bem como a aviação como um todo, que passará a utilizar o hidrogênio líquido como combustível dos aviões.

 

10. USAF planeja gastar US$ 11 bilhões somente para remotorizar o B-52

B-52 leva sob sua asa um míssil hipersônico ARRW em fase de teste- Foto: USAF

Falando a legisladores do Comitê de Forças Armadas do Senado Americano na última quinta-feira (17), o Secretário Interino da Força Aérea, John P. Roth, afirmou que a troca dos motores do bombardeiro estratégico B-52H Stratofortress terá um custo de US$ 11 bilhões, 9% mais caro do que o estimado anteriormente. 

Roth disse que estão incorretas as afirmações da mídia que o Programa de Remotorização Comercial do B-52 (B-52 CERP) seria 50% mais caro do que o estimado, e destacou que o aumento de 9% reflete informações obtidas através da prototipagem do sistema junto de “uma reavaliação do requisito” e a complexidade inerente de integrar um motor comercial moderno à “plataforma envelhecida que o B-52 é”, disse ele. O Secretário também enfatizou que o aumento de custo leva em consideração as “realidades de compra da base industrial atual”.

Militares realizam trabalhos de manutenção nos motores de um B-52H durante um desdobramento da Força-Tarefa de Bombardeiros. Foto: Senior Airman Jovante Johnson/USAF.

O CERP foi inicialmente estimado em cerca de US$ 10 bilhões, mas o Comando de Ataque Global da Força Aérea e o Comando de Material da Força Aérea disseram que o programa provavelmente “se pagará” através de um ganho esperado de 30% em eficiência de combustível e requisitos de manutenção drasticamente reduzidos. Os motores provavelmente nunca serão removidos de suas asas porque a aeronave deve se aposentar antes que os motores precisem de uma revisão.

O Chefe do Comando de Ataque Global, General Tim Ray, disse que a remotorização dos B-52 poderia gerar até mesmo uma redução desproporcional na necessidade de suporte de aviões-tanque ao bombardeiro em missões, devido ao aumento de autonomia de voo, com uma queda de até 50% dependendo do cenário.

 

ARTIGOS

Azul

Nesta semana postamos um importante artigo em formato de “Especial”, sobre uma atualização realizada pela Azul nas suas aeronaves A320neo.

Nesta questão, a Azul está aumentando a potência dos motores de algumas aeronave, principalmente para otimizar as operações no Aeroporto Santos Dumont (RJ) em rotas de longa distância.

Veja bem detalhadamente sobre este tema Clicando Aqui.

Aviões maiores como o Airbus A380 foram uma das ‘grandes’ vítimas da crise, diversos ‘superjumbos’ foram retirados de operação definitivamente. E a equipe do Portal AEROFLAP foi atrás para descobrir quantas aeronaves continuarão em operação.

Veja mais Clicando Aqui.

 

Vídeos da Semana

Entrevistamos no início deste ano, enquanto estava ocorrendo a Operação Verão no Litoral Paulista, o Capitão Augusto Nacano, do Comando de Aviação da Polícia Militar de São Paulo (Águias), que é piloto.

Nacano estava participando da Operação, que ocorre a partir da Praia Grande e tem como foco evitar situações de risco para os banhistas das praias paulistanas.

No vídeo o Capitão explica um pouco da operação e procedimentos, do helicóptero utilizado e também dos instrumentos utilizados pelos policiais.

Veja a entrevista no vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=-bi5Iom_T3E

Siga: www.instagram.com/cavpm_pmesp/

 

 

Resumo com colaboração dos editores Gabriel Centeno, Gabriel Melo e Pedro Viana.

DEIXE UMA RESPOSTA