Conheça um pouco de um dos maiores sucessos da aviação: O Airbus A330

Airbus A330
Foto: Gabriel Melo

Na década de 80 e 90 quando se falava em aeronaves widebody logo vinha a mente: Boeing 747, Airbus A300, DC-10, Boeing 767, que último este era um dos principais daquela época.

A Airbus ainda não tinha um avião que pudesse fazer frente ao 767, eis que no final da década de 80 se inicia o desenvolvimento de um dos maiores sucessos da fabricante francesa.

Foto: Gabriel Melo

Nascia o Airbus A330, inicialmente projetado na versão -200 e tinha como principal objetivo fazer frente ao mercado de birreatores de longo alcance, dominado na época pelo 767.

A Airbus passava por um bom momento, com bastante encomendas e acordos para futuras vendas. A fabricante havia iniciado a aplicação de uma nova tecnologia a bordo das cabines de comando das aeronaves, com comandos Fly-by-wire.

Sucesso absoluto no seu carro chefe, o Airbus A320, a fabricante então levou seu novo sistema de voo chamado de Fly-by-wire totalmente computadorizado e moderno para sua nova aeronave. A Airbus também levava para o novo avião o cockpit similar ao do A320, apesar da diferença de tamanho, para facilitar o treinamento de tripulação, reduzindo assim os custos com a transição de pilotos e mecânicos.

Foto: Gabriel Melo

O A330 possui dois motores, o que já era um atrativo para as companhias em relação ao seu irmão A340-200 mesmo com tamanho e capacidade similares. Uma outra vantagem ao A330 é em relação a sua autonomia, que pode voar cerca de 12000 km sem escalas.

O Boeing 767 seu concorrente direto, tinha a versão -200ER com a mesma autonomia, porém com menor capacidade para passageiros, e a versão -300/300ER tem um alcance um pouco menor.


O Airbus A330 já chegou com um pouco mais de vantagem em relação aos custos de operação, autonomia e capacidade. O primeiro voo do novo modelo, na versão -200, só aconteceu em 1997, com a primeira entrega para o ano seguinte. A nova aeronave trouxe novos conceitos de configuração a bordo, dando a sensação de conforto devido ao seu tamanho interno e externo.

Foto: Gabriel Melo

A versão -200 foi que mais vendeu com mais de 600 entregas, seu irmão a versão -300 não teve tanto atrativo devido ao alcance limitado. A TAM foi uma das pioneiras com o A330-200, recebendo o primeiro da frota ainda em 1998, mesmo ano da primeira entrega.

O A330 possui 3 versões de motores, sendo eles a GE, a Rolls-Royce e a Pratt Whitney. A ampla variedade de marcas de motores ajudou nas vendas, ao mesmo tempo que os propulsores ajudavam a Airbus na criação de um bimotor com um MTOW muito alto, permitindo aumentar a capacidade de combustível.

O motor General Electric CF6, por exemplo, teve alterações significativas para atingir a potência que a Airbus necessitava para o projeto do A330. Os motores Rolls-Royce Trent 700, por exemplo, são conhecidos pela boa potência, silêncio a bordo e consumo reduzido de combustível.

Motor Rolls-Royce Trent 700 que equipa um Airbus A330-200 da Azul.

Os aviões de grande porte da Airbus, lançados na mesma época, tem suas semelhanças, como as asas, os tanques de combustível e sua fisionomia. 

Como citado no início, o cockpit é semelhante ao do A320. Sendo assim um piloto de A319 poderia facilmente ser habilitado para o A330 e também para o A340, a manutenção também é um dos fatores que pesam a favor da aeronave.

A aeronave nova possui cerca de 230.000kg de peso máximo para decolagem, a fácil operação, fácil configuração e pilotagem facilitam a vida dos pilotos. Foram muitos os atrativos do novo modelo wide-body do mercado, que também chamou atenção de empresas no Brasil.

 

O Airbus A330 no Brasil

No Brasil, o Airbus A330 teve um grande sucesso. Sua capacidade de passageiros, de carga e seu custo operacional permitiram empresas como a TAM (Latam Brasil) crescerem no mercado doméstico e internacional.

Os primeiros voos da empresa para os EUA e Europa foram feitos com o A330-200, que chegou na frota em 1998, com uma grande festa no Aeroporto de Congonhas. Veja no vídeo abaixo.

Houve pouso de não apenas um, mas dois Airbus A330-200 em Congonhas, e eram da TAM.

O The Magic Red Carpet como tinha escrito permitiu a TAM ter voos com bastante passageiros para Manaus, Porto Alegre, Fortaleza entre outros destinos que demandavam cargas e passageiros. Onde a família A320 não supria todas as necessidades.

Foto: Gabriel Melo

A segunda empresa a operar o modelo no país foi a Avianca Brasil, inicialmente com o primeiro A330 exclusivamente cargueiro em 2014. De matrícula PR-ONV, a aeronave atuou em mercados de grande demanda de cargas como em Viracopos, Guarulhos e Manaus.

Somente em 2017, mesmo com duas aeronaves já prontas desde 2014, a Avianca Brasil recebeu seus A330 para passageiros, três após a Azul iniciar as operações com o mesmo modelo de avião.

Ainda em 2014, mas no meio do ano, a Azul resolveu também dar seus votos de confiança para o A330 e recebeu algumas aeronaves de segunda mão, provenientes da Emirates.

Primeiro pouso de um A330 da Azul no país, em 2014. Foto – Gianfranco Beting/Via Azul Linhas Aéreas

Curiosamente assim como a TAM e a Avianca, a Azul também trouxe as aeronaves para operar rotas para os EUA. Um mercado bastante atraente para as empresas dos dois países, visto que o diferencial da Azul eram as operações em Viracopos, saindo das rotas costumeiras para Guarulhos.

Tanto a Avianca como a Azul, antes de iniciar seus voos internacionais para Miami e Orlando, colocaram os seus A330 para alguns voos domésticos especialmente para o nordeste.

Essas rotas servem também como treinamento da tripulação de voo e de cabine, para acostumar com o novo modelo já que as companhias operavam somente aeronaves de corredor único, o Airbus A319 e Fokker MK-28 na Avianca e os E-Jets E190/195 na Azul.

Foto: Gabriel Melo

Os Airbus A330 possuem grande destaque nas rotas de grande alcance, e com boa demanda para passageiros e cargas. Diversas empresas operam também o modelo no Brasil, a mais conhecida é a TAP Portugal, que também operou o A340-300. O sucesso da aeronave permitiu fazer voos domésticos de longas distâncias, como realizamos no dia 1º de Setembro, de Campinas para Belém.

Cidades do Nordeste, algumas no Norte do Brasil, e de vez em quando algumas no Sul, costumam receber operações do A330 devido a toda a sua capacidade operacional.

O modelo foi um acerto em cheio da Airbus para concorrer com o 767, e mesmo nos dias atuais diversos A330 estão em operação, alguns com cerca de 20 anos de uso.

A Airbus também fez um modelo atualizado, nomeado como A330neo, depois de flertar com este mesmo conceito em 2006, época de criação do Airbus A350XWB, que na verdade deveria ser um A330 com motores do Boeing 787.

Em breve contaremos um pouco sobre o A330neo, juntamente com as mudanças e diferenças do primeiro A330-300ceo produzido em 1992.

Foto: Gabriel Melo

Foto: Gabriel Melo

Esse foi um pouco da história do modelo que continua fazendo tanto sucesso no Brasil e em todo o mundo. O A330 além de bonito, também é muito eficaz, fazendo assim um marco importante na história da aviação mundial.

 

DEIXE UMA RESPOSTA