Foto: Aeroprints.com

A Copa Airlines reportou recentemente que concluiu a retirada de aviões Embraer E190-E1 da sua frota, decisão que tomou em 2018, muito antes da atual crise, com foco em padronizar a frota com o Boeing 737 MAX.

Bolívar Domínguez, vice-presidente de operações aéreas da Copa Airlines, comentou que desde o início das operações, há 15 anos, a frota de aviões Embraer E190 realizou 28 mil voos que representaram 57 mil horas de voo, o que equivale a 41 viagens de ida e volta para a Lua.

A companhia vendeu as suas 14 aeronaves para a Alliance Airlines por US$ 111 milhões.  Além das aeronaves, o acordo também englobou equipamentos, dispositivos para treinamentos de pilotos e seis motores CF34.

A antecipação da aposentadoria dos seus E190 custou US$ 90 milhões para a Copa, que justifica o custo extra no benefício de padronizar a sua frota com o Boeing 737 MAX, mais econômico e rentável para a empresa.

A Copa Airlines também confirmou a venda de 6 aviões 737-700 da sua frota, e por enquanto vai manter os 6 737-700 restantes.

DEIXE UMA RESPOSTA