F-35A ROKAF Coreia do Sul
F-35A Lightning II da ROKAF. Foto: Lockheed Martin.

A Força Aérea Sul-Coreana (ROKAF) poderá receber reforços na sua frota de caças stealth F-35 Lightning II. O subcomitê do Comitê de Promoção do Projeto de Defesa da Coreia do Sul aprovou a compra de mais 20 aviões. Caso o contrato, avaliado em 3,9 trilhões de won (US$ 3 bilhões), seja assinado ainda neste ano, a ROKAF poderá receber seus novos aviões a partir de 2023. 

O subcomitê aprovou a compra dos caças F-35 no dia 09 de junho, observa a agência sul-coreana Yonhap citando membros do governo. O país está avaliando a compra de mais F-35A desde 2017, bem como a aquisição do F-35B, de pouso e decolagem vertical, capaz de operar nos navios de desembarque anfíbio do país. 

A luz-verde para a compra de mais caças stealth acontece no momento em que o presidente conservador Yoon Suk-yeol se esforça para reforçar as capacidades de defesa, visando combater as crescentes ameaças nucleares da Coreia do Norte.

F-35A ROKAF Bays
F-35A sul-coreano taxia com as baias de armamentos abertas. Foto: ROKAF.

A ROKAF se juntou ao programa F-35 em 2013, com a compra de 40 aviões. A entrega deste primeiro lote foi concluída neste ano. Os F-35 vão operar ao lado do KF-21 Boramae, um caça de 4.5 Geração desenvolvido no país.

Apesar de não ser uma aeronave de 5ª Geração como o F-35, o KF-21 possui características furtivas e pode evoluir para este patamar nos próximos anos. O primeiro KF-21 deve voar em 2022 e sua introdução ao serviço ativo está prevista para 2026.

De acordo com o South Korea Herald, espera-se que os militares do país recebam o novo lote de caças furtivos fabricados nos EUA em meados da década de 2020, pouco antes de iniciar a aquisição plena da aeronave doméstica.