COVID-19: ANAC e Anvisa vão fazer atuação conjunta nos aeroportos do Brasil

Aeroporto de Brasília
Foto - Aeroporto de Brasília/Inframerica

Uma decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região devolveu à Anvisa a competência para atuar e fiscalizar as áreas restritas dos aeroportos em relação ao novo coronavírus.

A atribuição havia sido ameaçada, mas com a suspensão das liminares a Agência volta a desempenhar suas atividades de fiscalização nas aeronaves, nas áreas de embarque e desembarque e nos demais locais de acesso restrito nos aeroportos.  

É importante destacar que as autoridades de saúde dos estados e do Distrito Federal poderão desenvolver ações suplementares nas áreas comuns dos terminais aeroportuários, além das que a Anvisa já vem realizando nas áreas restritas.  

A decisão do TRF ressaltou ainda a necessidade de articulação entre os governos estaduais e a Anvisa para a contenção da pandemia do Covid-19.  

Triagem de casos suspeitos 

Conforme a Nota Técnica 30/2020, publicada pela Agência, os estados, o Distrito Federal e os municípios que tenham interesse em aplicar o controle de temperatura como método de triagem devem observar as seguintes orientações:  

  • Executar a medida garantindo pessoal e meios próprios para realizar a ação de triagem, avaliação clínica e encaminhamento dos viajantes à unidade de saúde.  

  • A triagem deve ocorrer fora das áreas de acesso restrito do aeroporto. 


  • A medida deve ser pactuada com a administradora do aeroporto.  

Por fim, a Anvisa esclarece que as equipes da Agência, o posto médico e as ambulâncias dos aeroportos estão atendendo os viajantes de acordo com o Plano de Contingência. 

DEIXE UMA RESPOSTA