CR929: Novo avião da Rússia e China passa por desentendimentos de projetos

A China e a Rússia são nações de grande tamanho, que em parte são quase vizinhas, mas a cultura é bem diferente.

E esse choque entre culturas está afetando o primeiro projeto de avião comercial entre os dois países, o CR929. Este é um widebody do mesmo porte do Boeing 787 Dreamliner, e tem como foco concorrer com o avião norte-americano.

O desentendimento é simples de explicar. A COMAC quer direitos exclusivos para vender o CR929 para o mercado chinês, um mercado maior e de crescimento mais rápido que a Rússia.

Já a UAC, a estatal russa que está disponibilizando todo o seu Know How de décadas, não aceita essas condições, visto que também financia o projeto do CR929. 

Como resultado, o avião que deveria ter sua primeira entrega realizada em 2027, agora teve este prazo atrasado em até dois anos. A etapa de escolha dos fornecedores foi atrasada, e este é o motivo da aeronave não ser lançada até 2027.

As reportagens da mídia russa citam o chefe do Irkut, Ravil Khakimov, dizendo que o cronograma de entrega se moverá para frente, em meio às “dificuldades” de trabalhar com colegas chineses.

 

Desenvolvimento e tecnologia da Rússia

É inegável que o mercado de aviação na China pode literalmente “pagar” o projeto do CR929, porém o país não tem tecnologia para desenvolver algo desse porte. A Rússia, no entanto, surge para a China como uma “salvadora” do projeto.


Aplicando todo seu Know How de aviões mais recentes, e utilizando tecnologia ocidental para facilitar a venda da aeronave, a Rússia trabalha arduamente no projeto. A UAC já realizou testes em túnel de vento e agora encaminha suas empresas de motores para criar um novo propulsor.

Provavelmente o sistema de aviônicos será totalmente desenvolvido na Rússia, incorporando uma tecnologia que hoje já está sendo testada no MC-21. Esta deriva de aplicações de empresas no ocidente.

A UAC também planeja fabricar a asa com a tecnologia que ela usa para o MC-21, com materiais compostos que não exigem a utilização de uma autoclave, simplificando o processo de produção.

A solução será uma integração pura entre as duas empresas para acelerar o processo de design e desenvolvimento da aeronave. Moscou foi escolhido como o local de um centro de engenharia em conjunto, através de uma liderança da experiente UAC. A sede do projeto fica em Xangai, onde o CR929 será montado.

Apesar de ser maior, comparando a versão CR929-600 com o Airbus A330-900, o estimado é que esse avião seja apenas 1% mais pesado, devido a fuselagem com ampla aplicação de materiais compostos, e uma maior otimização de construção da aeronave.

 

DEIXE UMA RESPOSTA