CRAIC CR929 Rússia China

A Rússia está nos últimos meses realizando grandes alterações nos aviões comerciais de produção própria, como o Irkut MC-21 e o Sukhoi SSJ100. A meta é fabricar componentes russos para esses aviões, em substituição aos ocidentais.

E outro projeto também está sofrendo várias alterações é o CR929, realizado em conjunto com a chinesa COMAC. Antes focado em tomar o mercado da Airbus e Boeing, o widebody de nova geração agora está com seu projeto sendo alterado para receber componentes russos e chineses.

Logicamente, os russos e chineses estão se precavendo de sanções implementadas pelo ocidente, e que está aos poucos paralisando aviões da Airbus e Boeing que atualmente são os principais voando em aéreas da Rússia. A guerra com a Ucrânia trouxe ao país a consequência de não conseguir comprar componentes ou aeronaves estrangeiras, limitando a aviação do país.

China Rússia CR929
Foto: Divulgação

E o Ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, declarou durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo que os russos e chineses vão direcionar o CR929 para atender ao mercado interno, visto que a China teme sanções semelhantes devido à Taiwan.

“O programa CR929 está em andamento. Mas levando em conta as novas introduções, sobre as restrições que existem hoje em termos de cooperação, que foram formadas por parceiros chineses com o envolvimento de fabricantes ocidentais, agora isso é impossível, então você terá que gastar tempo reestruturando abordagens usando apenas fabricantes russos e chineses”, declarou Manturov.

Com a declaração de Denis Manturov, a Rússia e a China possivelmente devem priorizar um CR929 com motores PD-35, de desenvolvimento da estatal russa Aviadvigatel, com base nos motores de nova geração do MC-21, mais econômicos no consumo de combustível.

A Rússia também está desenvolvendo diversos componentes estruturais em materiais compósitos, assim como no caso do MC-21, enquanto a China trabalha nos aviônicos e no interior da aeronave.

Com todas essas alterações, o projeto do CR929 poderá estar disponível em 2030 para as aéreas russas e chinesas.

O projeto é conduzido por duas estatais da China e Rússia, a Comac e UAC, respectivamente. A montagem final da aeronave será feita em Xangai, devido à fuselagem ser produzida na China. As asas da aeronave, a seção de empenagem e a cauda serão produzidas na Rússia.

Anteriormente a CRAIC anunciou que o novo conceito do CR929 se aproxima do tamanho do A330-900neo, e também vai precisar de um motor ainda mais potente, com 78000 lbs de empuxo, antes a UAC estimava um motor de 71000 lbs para a aeronave.

Apesar do tamanho maior, a estimativa de autonomia permanece a mesma (para o CR929-600), de 12000 km. De acordo com a CRAIC isso é suficiente para cumprir a maioria das rotas de longa distância, incluindo os voos da Ásia para os Estados Unidos.