Com essa tensão agravada na região do Oriente Médio, mais especificamente no Irã, Iraque e com os EUA envolvidos muito se fala das coisas que aconteceram como o ataque ao general iraniano Qassem Soleimani e o ataque do Irã a duas bases norte-americana no Iraque como forma de revidar ao ataque dos EUA.

No meio dessa tensão, o voo PS-752 foi abatido por engano pela Força Revolucionária Iraniana, utilizando um míssil para derrubar a aeronave da Ukraine International Airlines, que estava cheia de civis, e cumprindo um voo comercial entre Teerã e Kiev.

O avião caiu logo após a decolagem. Os 167 passageiros e 9 tripulantes não sobreviveram.

Mas na história da aviação já tiveram casos confirmados de abate, confira abaixo algumas histórias:

  • MH-17 Malaysia Airlines:

Esse até então foi o caso mais recente de abate de uma aeronave comercial. O Boeing 777-200 da companhia asiática cumpria um voo entre Amsterdã a Kuala Lumpur, em julho de 2014.

A aeronave estava voando na região de Donetsk e transportava 295 pessoas, quando foi abatida por um míssil terra-ar (BUK) que segundos algumas fontes pode ter sido lançado por separatistas pró-Rússia, porém os mesmo negam a autoria até hoje.

Esse foi o maior abate em número de vítimas fatais.


 

  • Voo 902 Korean Air:

Em abril 1978, um Boeing 707 que fazia a rota Paris-Seul foi alvejado por caças soviéticos quando sobrevoava a região de Murmansk, na União Soviética.

Segundo relatos o 707 entrou em uma zona restrita, depois de ser alvejado, o piloto do 707 conseguiu fazer um pouso forçado.

Duas das 107 pessoas morreram na ocasião.

Não é possível saber ao certo se os tiros dados pelos pilotos soviéticos teve uma intenção realmente de abate ou apenas um aviso.

 

  • Voo 825 da Air Rhodesia:

No mesmo ano do voo 902, só que no mês de setembro, um Vickers 748D de prefixo YP-YNC cumpria o voo 825 da Air Rhodesia, entre Kariba-Salisbury, quando foi abatido por um míssil de insurgentes do Zimbábue.

Na queda 38 pessoas das 58 morreram, e mais 10 foram mortos pelos insurgentes que atiram nas vítimas.

Os anos de 1978 e 1979 foram ruins para a companhia Air Rhodesia. Em 1979 um voo que cumpria a mesma rota também foi abatido por insurgentes do Zimbábue, 59 pessoas morreram na ocasião.

 

  • Voo 007 Korean Airlines:

O Boeing 747-200 cumpria o voo entre Nova-York/Seul, quando em setembro de 1983 caças soviéticos interceptaram o grande Boeing e ordenaram que os pilotos mudassem de rota.

Ao não cumprir a ordem dos militares soviéticos, o Boeing 747 foi abatido por mísseis, fazendo o avião cair no mar do Japão matando todas as 269 pessoas.

 

  • Voo 655 Iran Air:

Nesta lista de abates temos também um Airbus 300 da companhia iraniana, que cumpria no dia 03 de julho de 1988 a rota Teerã-Dubai.

Desta vez o míssil que atingiu a aeronave veio de um cruzador da Marinha dos EUA, o USS Vincennes que estava na região e por engano acertou a aeronave comercial. Todos os 290 passageiros morreram.

Na época do ocorrido estava acontecendo uma guerra entre o Irã e o Iraque.

Esse vídeo explana um pouco mais deste ocorrido:

 

  • Voo 1812 Siberia Airlines:

Em 2001 um TU-154 deveria ter cumprido o voo entre Tel Aviv a região de Novosibirsk, na região do Mar Negro. Porém, a aeronave caiu matando as 78 pessoas a bordo.

Até hoje não foi possível saber ao certo os motivos da queda da aeronave, as maiores suspeitas caem sobre a Ucrânia, os mesmos alegaram que “um míssil errante”, pode ter acertado o Tupolev.

 

DEIXE UMA RESPOSTA