Airbus A380

Sendo uma das aeronaves mais icônicas da aviação, o Airbus A380 veio para revolucionar não só a maneira de transportar, mas para rivalizar com o lendário Boeing 747 ao trazer um avião de dois andares.

Um breve resumo do programa A380: 

Chamado inicialmente de A3XX, o Superjumbo europeu teve os seus primeiros pedidos no ano 2000 com a Emirates e a Singapore Airlines, com a promessa da primeira aeronave entregue em 2006, o que não se concretizou.

Apesar de ser uma aeronave que veio para estar além do tempo, ironicamente,  o A380 foi castigado pelos novos moldes da aviação que começou a prezar por aeronaves bimotoras mais modernas e eficientes, situação que se agravou com a crise do coronavírus, quando boa parte da frota global foi aposentada.

Continua depois do anúncio

Ao longo dos últimos anos, o Airbus A380 ganhou muito destaque no mercado, porém, não recebeu a mesma atenção no número de encomendas, visto que, durante os seus anos de produção não alcançou sequer 250 aeronaves fabricadas, sendo que mais da metade dos aviões produzidos são da Emirates, que conseguiu montar um modelo ambicioso de negócios com base no A380.

Mesmo que a Airbus tenha feito um extraordinário projeto, a Airbus produziu somente 254 unidades do Superjumbo, o que pode ser considerado abaixo das expectativas, principalmente pelo fato do alto valor para o desenvolvimento do seu programa

Continua depois do anúncio
Especificações da aeronave
Dimensões
Comprimento 72 m  
Envergadura 79 m 
Altura 24 m (78,7 ft)
Área das asas 845 m² 
Peso
Peso vazio 276 800 kg 
Peso máximo de decolagem 575 000 kg 
Performance
Velocidade máxima 970 km/h (524 kn)
Velocidade de cruzeiro 910 km/h (491 kn)
Velocidade máx. em Mach 0,85 Ma
Alcance (MTOW) 15 700 km (9 760 mi)
Teto máximo 13 136 m (43 100 ft)

 

A seguir, listamos algumas curiosidades que marcaram a história do A380:

1. Singapore Airlines (SIA): pioneira na operação do A380, foi também a primeira companhia a aposentar um A380:

Airbus A380
Primeiro A380 na cerimônia de entrega.

Com uma carta de interesse assinada em maio de 2000, a Singapore Airlines se tornou a segunda operadora a despertar interesse no quadrijato, algo que se tornou emblemático para a Airbus por se tratar de uma das maiores operadoras do Boeing 747 na época.

Entregue em 15 de outubro de 2007, o A380 entrou em operação pela primeira vez na história no dia 25 de outubro de 2007, com o voo SQ380 na rota Singapura – Sydney com 471 assentos. A procura pela passagem foi tão alta, que alguns assentos foram vendidos por meio de um leilão.

Entretanto, após alcançar o pico de 20 aeronaves em sua frota, em novembro de 2017 marcou o início do fim do A380 original da SIA, quando o MSN003 foi transportado e movido de Cingapura para Tarbes, no sul da França.

Continua depois do anúncio
Primeiro A380 MSN003 da SIA em 2019 em processo de desmontagem

A aeronave havia sido devolvida ao seu proprietário alemão, o Dr. Peters Group, em junho daquele ano, e foi levada aos cuidados do especialista em reciclagem de aeronaves Tarbes Aerosave.

2. A380F: a versão de cargas que nunca saiu do papel

Airbus A380 A380F
Foto: Airbus/Divulgação

O seu tamanho imponente pode até ter sido um aliado para o transporte massivo de passageiros, algo que atraiu também o interesse de operadores cargueiros como a FedEx e a UPS.

Contudo, diversas limitações impediram que a versão de cargas de fato saísse do papel, incluindo os custos elevados e limites nas estruturas da aeronave, sem contar que a aeronave ficaria impedida de operar em aeroportos específicos.

Continua depois do anúncio

Com a perda do interesse dos clientes, a Airbus decidiu cancelar em 2005 a produção da versão de cargas, algo que voltou a ser cogitado em 2020 diante da alta demanda de cargas por conta da pandemia, mas nunca foi adiante.

Caso o projeto saísse do papel, o A380F se tornaria o segundo maior cargueiro do mundo com capacidade de transporte de até 150 toneladas, ficando atrás apenas do finado Antonov An-225.

3. A380 Plus: a versão modernizada sem nenhum pedido

Airbus A380
Foto: Airbus

Visando trazer melhorias e interesse de novos clientes para dar sobrevida na sua produção, a Airbus apresentou durante o Paris Air Show de 2017 o A380 Plus.

Continua depois do anúncio

A nova versão contava com um pacote de atualizações em comparação ao tradicional A380. A aeronave recebeu um aumento do MTOW (peso máximo de decolagem), permitindo levar também mais combustível e aumentar o alcance da aeronave em até 500 km.

Além disso, o A380 Plus recebeu um novo Sharklet que contribuia para a diminuição do consumo de combustível em 4%, incluindo também uma atualização nos motores Rolls Royce e Engine Alliance.

A380

Mesmo com todas as melhorias, nenhum cliente demonstrou interesse na nova versão do A380, sendo crucial para o fim da sua produção em 2021

4. Guarulhos: o primeiro e único aeroporto da América do Sul a receber o A380 em voos regulares

Airbus A380
Foto: Emirates

Em 26 de março de 2017 um A380 da Emirates entrou para a história ao fazer de Guarulhos (GRU) o primeiro e único aeroporto da América do Sul a receber voos regulares do superjumbo.

Na ocasião, o A6-EOM pousou às 17h15, com um atraso em relação ao horário originalmente previsto. A aeronave foi recebida com um batismo em frente ao Terminal 3 do GRU Airport. Curiosamente, o voo foi conduzido pelo comandante brasileiro João Queiroz Neto.

Comandante João Queiroz Neto

Relembre o momento especial no vídeo abaixo: 

Com a expectativa da operação inédita, centenas de spotters, entusiastas e curiosos lotaram o famoso morrinho de Guarulhos para acompanhar a novidade.

Entre os aeroportos do Brasil que suportam as operações do Airbus A380, estão o Aeroporto de Guarulhos (GRU), em São Paulo, e o Galeão (GIG), no Rio de Janeiro.

Apesar de Guarulhos ter sido o primeiro destino regular do A380 na América do Sul, o aeroporto se tornou o segundo destino regular na América Latina com as operações do A380, quando a Air France lançou em janeiro de 2016 os voos regulares entre Paris e a Cidade do México com o icônico quadrijato.

5. Crise do Coronavírus: a gota d’agua do A380 em determinadas frotas

Airbus A380
Foto: Steve Strike

A pandemia do coronavírus não só afetou drasticamente toda a indústria da aviação, bem como encerrou de forma prematura a presença do A380 na frota de determinadas companhias aéreas.

Diretamente afetado em decorrência dos fechamentos das fronteiras e da baixa demanda de passageiros, o A380 viu o seu número de operadores diminuir expressivamente, como é o caso da Air France, Etihad Airways, Lufthansa e HiFly, companhia que abriram mão de operar o quadrijato em suas respectivas frotas.

Com o seu futuro  incerto nos demais operadores, é certo que o número de aeronaves A380 em operação nos níveis pré-pandemia jamais será o mesmo, ainda mais pelo fato de muitos operadores declararem que irão retirar o A380 em breve, como é o caso da Korean Air e a China Southern Airlines.

6. O primeiro A380 aposentado da Emirates se tornou adereço com itens colecionáveis

Airbus A380
A6-EDA sem a tradicional pintura da Emirates

Sendo o primeiro A380 a ser retirado de operação de um total de 123 aeronaves do modelo que chegou a operar, o A6-EDA foi levado para um centro de reciclagem para a reutilização de algumas peças como adereços de decoração.

A ação foi promovida em parceria com a Falcon Aircraft Recycling, com o objetivo de dar aos entusiastas de aviação a chance de ter em casa a lembrança do primeiro A380 operacional da Emirates.

Airbus A380
Que tal uma Mesa de café feita a partir de uma roda do A380? Foto: Emirates

7. A operação regular mais longa com um A380: Dubai (DXB) – Auckland (AKL)

A rota Dubai – Auckland operada pela Emirates foi o voo mais longo a ser operado pelo modelo. Para se ter uma noção da distância e tempo, o voo conta com uma duração de 17 horas ao percorrer 14,170 quilômetros, algo desafiador para quem encara este voo na econômica, por exemplo.

Airbus A380
Foto: GCmap/Reprodução

8. O voo mais curto com um A380: Singapura (SIN) – Kuala Lumpur (KUL)

Além de ter sido a primeira operadora do quadrijato, a Singapore Airlines inovou com o uso do A380 ao anunciar a rota Singapura- Kuala Lumpur no final de 2021.

Chama a atenção o fato do voo ter duração de apenas 1 hora ao percorrer ‘apenas’ 296 quilômetros, sendo disponibilizados 465 assentos, sem a possibilidade de aproveitar as suas famosas suítes da primeira classe.

Airbus A380
Foto: GCmap

9. O Airbus A380 é literalmente é um ‘palácio voador’

A Emirates conta com um Spa digno de um hotel luxuoso nos seus A380

Um dos diferenciais do A380 desde o seu lançamento são as suas famosas suítes a bordo oferecidas tanto pela Emirates quanto pela Singapore Airlines.

Para efeito de comparação, tais suítes são tão luxuosas, que as suas configurações se assemelham a um quarto de hotel 5 estrelas, ou melhor, a uma configuração exclusiva de aeronaves VIPs.

A configuração é tão robusta, que a depender da companhia aérea é possível tomar um banho em pleno voo, algo impensável para se fazer em um voo regular.

A Singapore Airlines possui uma das suítes mais sofisticadas no A380

Porém, tal mordomia deverá se tornar raro nas próximas décadas, principalmente pelo fato do A380 não estar nos planos operacionais para as próximas décadas, algo que poderá se tornar difícil de instalar em aviões como o A350 ou o 777X, por exemplo.

10. A Emirates não é somente a maior operadora, mas também a companhia responsável por receber a última unidade de fábrica

Emirates Airbus A380
Foto: Emirates/Divulgação

De longe a maior operadora com 123 pedidos, a Emirates foi a principal aposta da Airbus para que a produção da aeronave não fosse encerrada em definitivo.

Entretanto, com a nova realidade operacional visando operações mais eficientes com aviões bimotores, manter o A380 nas atuais circunstâncias começou a não ser mais rentável para a Emirates, que consequentemente cancelou a entrega de 39 unidades do Superjumbo, selando de vez o fim da produção do A380.

Em 16 de dezembro de 2021, a Emirates recebeu o seu 123º superjumbo Airbus A380. A aeronave, registrada como A6-EVS, foi o último A380 produzido pela Airbus, encerrando um legado de 21 anos da companhia aérea com o programa A380.

Curiosidade: A Emirates foi a primeira companhia aérea a anunciar um pedido de aeronave A380 no Farnborough Air Show de 2000, quando a aeronave ainda era comercializada como A3XX.