Quando falamos de porta-aviões logo vem a nossa mente grandes embarcações que tem capacidades de transportar muitas aeronaves. A aviação de caça seja F-18 Hornet, Super Hornet ou o EA-18 Growler vem a nossa mente quando se trata da U.S. Navy.

Mas para além dos caças que cumprem um grande papel dentro da aviação aeronaval, existe também aviões maiores que desempenham um papel estratégico dentro de um força aeronaval. Destas, três aeronaves em especial marcaram e marcam uma importância dentro da marinha e despertam o interesse e curiosidade de muitos.

 

Mas quais são as principais aeronaves de operações táticas/logísticas da U.S. Navy?

 

V-22 Osprey

V-22 Osprey- Foto: Fred Troilo, Boeing

Está aeronave utilizada pelos Marines (Fuzileiros Navais) tem a capacidade de pousos e decolagens na vertical o que facilita muito o trabalho de operações embarcadas. Os Ospreys foram introduzidos aos marines, em 2007. Com tudo seu projeto é dos anos 80, tendo como primeiro voo ocorrido no ano de 1989.

A aeronave é um projeto em parceria entre a renomada fabricante de helicópteros Bell com a grande fabricante Boeing. A aeronave tiltrotor como também é conhecida foi desenvolvida nos anos 80, tendo como primeiro voo ocorrido no ano de 1989.

O Osprey foi utilizado em conflitos importantes como Iraque, Afeganistão, Líbia e Kuwait.Sua capacidade de levar tropas e cargas é um diferencial dentro de um cenário de conflito.

No último dia 21 um modelo CMV-22B Osprey (a última variante do Osprey), fez seu voo inaugural em Amarillo, Texas. A Bell juntamente com a Boeing deverão entregar os primeiros CMV-22B para as forças navais dos EUA entre esse ano de 2020 e 2021. Na marinha dos EUA os novos aviões tiltrotor vão substituir os antigos Grumman C-2A.


voo inaugural do primeiro CMV-22B Osprey- Foto: Bell

“Com a capacidade de viajar até 1.150 milhas náuticas, o CMV-22B será uma tábua de salvação para nossos militares e mulheres no mar”, disse Kristin Houston, vice-presidente dos Programas Tiltrotor da Boeing e diretora do Programa Bell Boeing V-22. “A qualidade e a segurança incorporadas a esta aeronave revolucionarão a maneira como a Marinha dos EUA cumpre sua missão crítica de entrega a bordo do transportador”.

 

Grumman C-2

Este avião é um dos peso pesados da Marinha dos EUA. O Grumman C-2 fez seu primeiro voo em 1964. A aeronave tem a função de transporte de tropas, cargas e suprimento para os porta-aviões. O projeto da aeronave é da Northrop Grumman, mesma fabricante do lendário F-14 Tomcat.

O C-2 foi introduzido na Marinha dos EUA em 1966, ou seja dois anos após seu primeiro voo, isso mostra que a US Navy estava afim de ter uma aeronave capaz de transporte um volume considerável de tropas e cargas mas que tivesse sua operação possível em um porta-aviões.

Grumman C-2A- Foto: Us Navy

Ao logo dos anos de os C-2 tanto da primeira versão A quanto da versão C-2A (R) de 2010 fizeram várias missões abordo de vários porta-aviões da esquadra norte-americana.

Os C-2 como já dito acima vão ser substituídos em breve pelos novas variantes do Osprey, que irão trazer uma maior dinâmica e agilidade na operações até então empregadas pelas Grumman C-2.

 

E-2 Hawkeye

Outra aeronave empregada na Marinha dos EUA é o Northrop Grumman E-2 Hawkeye. A aeronave radar da marinha fez seu primeiro voo em outubro de 1960 e foi introduzido na força aeronaval em 64.

Desde o primeiro voo até hoje várias versões foram feitas e com elas as devidas atualizações. A importância da aeronave para amarinha é notória. Em cada porta-aviões dos EUA existem cerca de quatro ou mais E-2 Hawkeye.

E-2D Advanced prestes a pousar no USS Gerald Ford- Foto: Marinha dos EUA pelo especialista em comunicação de massa 2ª classe Sean Elliott

Ao longo dos anos os Hawkeye já participaram de alguns conflitos reais, incluindo, Iraque, Afeganistão, dentre outros.

O E-2 também é operado por outros países, como o Egito, a França, Japão, México, Singapura, Israel e Taiwan.

A última versão do E-2 Hawkeye, é a versão D Advanced. A aeronave vem equipada com sonda de reabastecimento em voo, além disso a nova aeronave poderá ser inserida dentro de situações de guerra eletrônica, graças as novas atualizações empregadas no avião.

A US Navy recebeu em setembro de 2019 seu primeiro E-2D Advanced e já começou o treino dos pilotos para o novo equipamento. Além dos EUA a JASDF encomendou três unidades do novo E-2 Hawkeye.

 

DEIXE UMA RESPOSTA