Boeing 737 China Eastern Acidente

Informações publicadas recentemente por avaliadores de caixas-pretas nos Estados Unidos apontaram que, provavelmente uma pessoa realizou os comandos que derrubou o Boeing 737-800 da China Eastern, de matrícula B-179, em março deste ano.

A aeronave não apresentava problemas técnicos e que os controladores de voo mantiveram o contato com os pilotos em todo o trajeto do voo da aeronave em cruzeiro. Contudo, os dados extraídos da Caixa-Preta indicam que o avião foi colocado propositalmente em uma situação de mergulho.

Os investigadores, no entanto, não sabem ainda se algum piloto comandou a atitude, ou alguma pessoa extra no cockpit, sem ser um tripulante técnico, que colocou o avião nessa condição. Mais dados serão avaliados com o resgate do áudio do CVR, a caixa-preta que é um gravador de voz da cabine de comando.

De acordo com a companhia aérea, os pilotos tinham boa saúde, condições familiares e finanças. Contudo, isto não descarta uma condição de possível semelhança com o acidente do voo 9525 da Germanwings.

Vídeo mostra tentativas de comunicações com Boeing 737 que se acidentou na China

O avião estava voando a cerca de 29 mil pés e segundo os dados do site de monitoramento de voos Flightradar24, quando o 737 começou a perder altitude rapidamente. O último contato da tripulação com o controle aéreo aconteceu próximo da cidade de Wuzhou, no Sul da China.

A investigação do acidente do voo da China Eastern ainda está em andamento, e pode levar pelo menos um ano antes que os documentos finais sejam divulgados.

 

Com informações publicadas pelo The Wall Street Journal .