De olho na China, Aviação no mundo começa a traçar rota no rumo da retomada

As companhias aéreas da Europa e da América do Norte estão se preparando para a recuperação das viagens aéreas. As malhas aéreas estão sendo ajustadas, apesar de uma demanda imprevisível, isso requer previsões precisas e prospectivas e boa previsibilidade do comportamento do cliente. 

Isso pode ser desafiador em circunstâncias normais, enquanto um vírus temido torna as coisas significativamente mais difíceis. Todos estão de olho na China, pois é um indicador importante de como a demanda de viagens aéreas se recuperará nos próximos meses.

A China diminuiu suas restrições de viagens aéreas no início de abril. Esse movimento resultou em uma recuperação parcial das viagens aéreas, com o número de passageiros subindo 7,9% em relação a março. 

No entanto, o número de passageiros em abril ainda era 68% menor do que costumava ser um ano atrás. Os 16,72 milhões de passageiros de viagens aéreas na China registrados no mês passado são uma pequena melhoria, em comparação a março, quando 15,13 milhões de passageiros viajaram de avião. 

É importante ressaltar que, desde o alívio do bloqueio, o número de passageiros continua a aumentar constantemente, uma tendência que fornece à indústria esperanças de recuperação. O declínio percentual diário nos voos rastreados dos cinco maiores países da Ásia-Pacífico em comparação com o período equivalente de um ano atrás mostra a lenta recuperação do mercado chinês. 

As viagens aéreas na China chegaram ao fundo em meados de fevereiro, quando aproximadamente 75% de todos os jatos de passageiros permaneceram no solo. Atualmente, a quantidade de voos rastreados é 45% do que era em maio de 2019.

Foto – Boeing

Das três grandes da China, apenas a Air China viu menos passageiros domésticos no mês, transportando 2,65 milhões de passageiros, uma queda de 4,2% no mês. 


A China Southern e a China Eastern Airlines relataram um número maior de passageiros transportados em suas respectivas redes domésticas. A China Southern transportou 3,83 milhões de passageiros no período, um aumento de 6,1% em relação ao mês anterior, enquanto a China Eastern registrou um aumento de 25% nos passageiros domésticos transportados, em 2,64 milhões de passageiros. 

No entanto, todas as três empresas transportavam muito menos passageiros domésticos ano após ano, com reduções entre 62% e 70%. 

Em capacidade, apenas a China Eastern registrou um aumento mensal em sua rede doméstica, com ASKs no mês aumentando cerca de 8,7%. A China Southern registrou uma queda de 3% nos ASKs domésticos, enquanto a Air China registrou uma queda de 13,5% em relação ao mês anterior. 

Os RPKs domésticos (demanda) de abril contaram uma história semelhante, com a China Eastern registrando um aumento de 21,7% em relação a março, e a China Southern relatando um aumento de 3,7%. Enquanto isso, a Air China viu os RPKs domésticos caírem 5,2% no mês. 

Os fatores de carga doméstica de passageiros nas três transportadoras aumentaram no mês, oscilando entre 64,5% e 66,8%. Todas as operadoras relataram aumentos de 4,1 a 7 pontos percentuais. 

 

Trafego internacional ainda em baixa

Foto – Divulgação

Apesar de alguns pontos positivos em suas redes domésticas, as ‘Três Grandes’ ainda sofriam com a demanda enfraquecida em suas malhas internacionais, em parte devido às restrições de viagens impostas globalmente. 

A China Southern transportou apenas 29.700 passageiros internacionalmente no mês, 78% menor que em março e uma queda de 98,2% em relação ao ano anterior. 

A Air China transportou 15.300 passageiros em sua rede internacional, uma queda de quase 90% no mês e um declínio de 99% no ano. 

Quanto à China Eastern, transportou 17.600 passageiros no mês. Isso foi 87% menor no mês e quase 99% menor no ano. 

As três operadoras registraram enormes quedas mensais em ASKs e RPKs internacionais no mês. Os fatores de carga internacional de passageiros permaneceram deprimidos, pairando abaixo de 50% nas três companhias aéreas.

O impacto do surto de coronavírus levou as três transportadoras a ficarem vermelhas no trimestre encerrado em 31 de março, com todas elas alertando para perdas mais acentuadas nos próximos trimestres. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA