ANAC DECEA Aeroportos São Paulo

Projeto tem como objetivo melhorar a eficiência operacional e a previsibilidade e pontualidade dos voos.

Subdepartamento de Operações (SDOP) do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) reuniu, no dia 8/12, no Rio de Janeiro (RJ), a comunidade aeronáutica e apresentou os resultados do Projeto A-CDM, do inglês Airport Collaborative Decision Making, implantado pela Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA).

O programa tem como objetivo melhorar a eficiência operacional, a previsibilidade e a pontualidade dos voos.

O evento contou com a presença do Chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Eduardo Miguel Soares; do Assessor de Gestão Estratégica da NAV Brasil, Brigadeiro do Ar Gustavo Adolfo Camargo de Oliveira; dos diretores da empresa Saipher, Luiz Tanaka e Fred Boratto; de representantes da empresa SITA, da Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC), da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), de companhias aéreas nacionais, concessionárias, operadoras do aeródromo e da navegação aérea, de Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares subordinadas ao DECEA.

Na abertura do evento, o Brigadeiro Miguel frisou a importância da troca de experiências e da parceria necessária entre os diversos atores da comunidade aeronáutica para que o conceito A-CDM atinja os resultados esperados.

“Posso resumir em uma palavra a parte principal desse conceito: parceria. É o momento de rever o Projeto, como foi feito, conhecer um pouco mais, analisar e ver como isso pode ser projetado”, pontuou.

Em seguida, o gerente do empreendimento para implantação do A-CDM e Chefe da Divisão Operacional da CISCEA, Major Aviador Marcio Rodrigues Ribeiro Gladulich, explanou sobre o processo de entrada e saída das aeronaves.

Foto: Fábio Maciel / DECEA

“Hoje em dia conseguimos aproveitar melhor o tempo por conta das facilidades digitais, cumprindo um maior número de tarefas em comparação com o mesmo período antigamente. O tempo é igual, mas o dinamismo é muito diferente”, afirmou.

Na oportunidade, o Oficial apresentou o histórico do Projeto e suas etapas, desde a assinatura do acordo de cooperação operacional para a implantação do conceito no Aeroporto de Guarulhos, em 2017; a adequação do modelo A-CDM EUROCONTROL às necessidades da comunidade aeronáutica brasileira, em 2018:

A validação dos indicadores no aeroporto de Guarulhos, descrição dos requisitos e concepção operacional, em 2019; o intenso treinamento dos parceiros, validação operacional, implantação do conceito e início da operação, em 2020; e a operação assistida, o desenvolvimento de indicadores de performance e entrega final do Projeto, em 2021.

“Hoje, na era da informação, a comunicação integrada entre todos os participantes do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) se tornou possível, por meio da plataforma ACISP (A-CDM Information Shering Plataform), gerando eficiência por meio de uma comunicação mais rápida”, destacou o Major Gladulich.

O gerente de Operações do Aeroporto de Guarulhos, Alexandre César Freire, e o Gerente da NAV Brasil responsável pela Torre de Controle do Aeroporto de Guarulhos, Aderley Nunes de Lima, apresentaram as fases de implantação do Projeto, bem como a importância da integração e parceria entre as partes e os benefícios observados no controle da movimentação no aeroporto desde a implantação do conceito.

Eles destacaram, ainda, a relação de previsibilidade dos voos, o desempenho da pontualidade e  redução de taxiways e de congestionamento no pátio.

“O A-CDM é um processo, não é uma ferramenta, não é um aplicativo. É um conceito, é uma cultura. Para poder colocar em prática, tivemos que passar por alguns desafios. É algo novo e tivemos que nos adaptar”, declarou Alexandre.

“Levamos o conceito para dentro da cabine de controle e foi de suma importância, tanto para os controladores quanto para o tráfego aéreo, porque facilitou o desenvolvimento e a aceitação dos procedimentos”, complementou Aderley Nunes.

Por fim, o Brigadeiro Miguel encerrou o evento agradecendo a todos que se envolveram e participaram, de alguma forma, do Projeto.

“Vamos continuar acompanhando de perto no SDOP e, como vimos, é uma quebra de paradigma muito grande e um Projeto bastante importante estrategicamente para o DECEA”, concluiu.

No Brasil, a implementação do A-CDM, por meio da CISCEA, foi viabilizada a partir de um acordo assinado entre DECEA e EUROCONTROL, em 2015. Na ocasião, foi acordada a cooperação entre as duas organizações para a otimização do intercâmbio de informações e dados operacionais de voos entre América do Sul e Europa, sobretudo no que tange à colaboração para o Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo, tanto do lado do gerenciamento de fluxo, como dos processos operacionais das operações de chegada, turn-round e partida dos voos, mediante a tomada de decisões colaborativas.

 

 

Via: DECEA

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA