DECEA ILS Aeroporto de Fortaleza
Foto: DECEA

O Sistema de Pouso por Instrumentos (ILS, do inglês “Instrument Landing System”) do Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins (CE) foi totalmente substituído pela Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), em um longo processo que terminou na última sexta-feira, dia 20 de maio.

O ILS é um sistema de aproximação por instrumentos que dá uma orientação precisa ao avião que esteja na aproximação final de uma determinada pista, principalmente quando o aeródromo apresenta condições meteorológicas adversas.

O sistema é baseado na transmissão de sinais de rádio que são recebidos, processados e apresentados nos instrumentos de bordo das aeronaves e consiste em dois sistemas distintos: um deles orienta a aeronave para pouso no eixo da pista (“Localizer”), e o outro orienta o adequado ângulo de descida (“Glide Slope”), proporcionando, assim, um pouso seguro.

Além do Sistema ILS, foi substituído o Equipamento Medidor de Distância (DME, do inglês “Distance Measuring Equipment”), que permite a substituição dos Marcadores Externo (OM) e Médio (MM), equipamentos integrantes do sistema, eliminando problemas de segurança e dificuldades para manutenção nestes sítios, uma vez que estas instalações, devido à distância em relação ao aeródromo, ficam em locais remotos e isolados, sujeitos a atos de vandalismo.

O ILS foi substituído em função da obsolescência do equipamento e pela necessidade de reposicionamento do “Glide Slope”, devido ao aumento da pista de pouso, realizado pela concessionária do aeroporto, em um detalhado planejamento que incluiu a avaliação do histórico de meteorologia local, de forma a não impactar as operações do aeródromo.

Participaram do processo de substituição o Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), que fez o levantamento das coordenadas geográficas necessárias, o Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), que aferiu e homologou com sucesso os equipamentos e auxílios à navegação e pouso com análise e aprovação dos procedimentos operacionais – todos sob a coordenação técnica-administrativa da CISCEA, que gerenciou o projeto.

A previsão é de que no início de junho de 2020, o sistema seja liberado para operação pelo Subdepartamento de Operações (SDOP) do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

 

 

Com informações do DECEA.