No próximo mês, a Delta Air Lines, em parceria com a U.S. Customs and Border Protection (CBP), a autoridade da alfândega dos Estados Unidos, o Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson de Atlanta (ATL), o Aeroporto Internacional de Minneapolis-Saint Paul (MSP) e o Aeroporto Internacional de Salt Lake City (SLC) implementará o sistema de embarque via reconhecimento facial opcional no Terminal E em ATL, MSP e SLC, expandindo a tecnologia para 49 novos portões de embarque e todos os voos internacionais.

Isso significa que os clientes com voo direto para um destino internacional da Delta e suas parceiras podem usar a tecnologia de reconhecimento facial para embarcar nesses aeroportos. E, se algum cliente não quiser usar o novo sistema, basta avisar o agente e fazer o embarque seguindo o procedimento normal, usando o cartão de embarque e o passaporte.

“Já estamos vendo melhorias na medição da satisfação dos clientes que se deslocam pelo aeroporto de Atlanta. A expansão do sistema de reconhecimento facial no embarque permite que mais clientes aproveitem esse processo fácil e rápido, um passo importante no nosso plano de implementação de reconhecimento facial em nossos hubs em todo o país, definindo a experiência para o setor”, disse Gil West, diretor de operações da Delta. “Na Delta, temos o melhor pessoal da aviação, e uma tecnologia como essa garante mais tempo para que eles ajudem os nossos clientes.”

A expansão do sistema para o aeroporto de ATL E complementa a experiência biométrica desde a entrada até o embarque dos passageiros internacionais do aeroporto. Com base em pesquisas recentes realizadas por terceiros com clientes no terminal F do ATL:

  • 70% deles gostaram da experiência de usar o sistema de reconhecimento facial desde a entrada até o embarque
  • 72% deles preferem reconhecimento facial ao embarque padrão
  • 93% dos clientes não tiveram problemas ao usar a tecnologia no embarque

Além disso, menos de 2% dos passageiros optaram por não usar o sistema e a CBP tem uma taxa de acerto superior a 97%. Essa tecnologia pode economizar em média nove minutos no processo de embarque em uma aeronave de fuselagem larga, ou dois segundos por cliente, quando comparada ao embarque tradicional.

“Com a tecnologia de reconhecimento facial, tiramos uma foto e comparamos com fotos de passaporte, substituindo o processo de comparação manual”, disse John Wagner, vice-comissário assistente executivo de operações em campo da CBP. “Com base em anos de testes e parceria com a Delta, a expansão trará uma experiência de viagem mais eficiente para um número maior de passageiros, além de atender aos requisitos federais de verificação de passageiros internacionais em vigor desde 1996.”

A expansão da opção de reconhecimento facial com o sistema Delta Biometrics é o próximo passo após o lançamento do primeiro terminal biométrico nos Estados Unidos e a experiência desde a entrada até o terminal no DTW, resultado de vários anos de testes opcionais de reconhecimento facial com a CBP nos aeroportos de ATL, DTW e JFK. Além disso, a companhia testou o autosserviço biométrico de despacho de bagagem em MSP para clientes internacionais. A Delta também testou o embarque biométrico no Aeroporto Nacional Ronald Reagan, em Washington, e lançou o check-in biométrico opcional em todos os Delta Sky Clubs domésticos, com o suporte da Delta Biometrics.