Delta corre no sentido contrário, e prefere comprar boa parte das suas aeronaves

A aviação é um mercado que pode mudar seus métodos administrativos de acordo com o mercado e o estilo dos seus controladores, como resultado, temos uma diversidade bem grande de estilos de operações entre as companhias aéreas.

Mas um ponto que podemos apontar como algo comum, é o crescimento da procura por empresas de leasing, quando uma companhia aérea decide colocar na sua frota novos aviões. Todos entram nessa, e na América Latina essa tendência é mais forte.

Surpreendentemente a Delta Airlines não gosta muito desse conceito, e prefere ter seus próprios aviões.

De acordo com um estudo publicado pela Forbes, quase 80% da sua frota é de propriedade da companhia, e o restante opera na frota através de contratos de leasing. Isso foi observado quando surgiu uma notícia sobre a troca dos Boeing 717 da companhia pelo 737 MAX.

No gráfico acima podemos observar que alguns poucos aviões da frota atual são arrendados, como os 717, A321 e 737-900ER.

*O leasing de uma aeronave é uma espécie de ‘aluguel’, assim como o aluguel de um carro, a companhia faz um contrato que se compromete a ficar X tempo com a aeronave, em troca, precisa manter a manutenção em dia, bem como contratar tripulantes para operar com o avião. A empresa de leasing recebe um montante do leasing operacional todos os meses, ou a cada três meses ou um ano, depende do contrato, ao longo do tempo isso “paga” o valor da aeronave.

 

Estratégia


O que podemos dizer como estratégia, na realidade ganha amplitude através de uma característica da companhia. A Delta fatura MUITO, fatura demais, até em comparação com outras companhias que opera foram dos Estados Unidos.

A companhia teve ao longo de 2018 uma receita operacional total de US$ 43,8 bilhões. Com uma receita alta, e já “embalada” no mercado, a Delta permite que a companhia consiga mudar o seu conceito operacional, mesmo que isso envolva a aquisição de caros aviões para a sua frota.

E aqui queremos destacar duas vantagens do leasing:

  • Você pode crescer rapidamente a sua empresa, visto que, para ter o avião na frota, a companhia paga apenas uma parcela (em um contrato que foca no pagamento do avião ao longo de 10 anos, por exemplo). Com um menor custo imediato, você pode adicionar vários aviões rapidamente, e suprir essa demanda*, aproveitando a oportunidade de aumentar o marketshare.

*A Delta fez isso com o 717, observando o rastro da demanda crescente no pós-crise 2008.

  • A companhia pode sempre estar renovando a sua frota com novas aeronaves, que já chegam com pintura no novo padrão, e um interior remodelado, aproveitando as tendências do momento. Pode não parecer, mas um passageiro avalia o avião pelo interior, refletindo diretamente na sua opinião sobre a companhia.

Mas o leasing também carrega algumas desvantagens, listamos abaixo:

  • As crises são cíclicas, sempre aparecerá uma, pequena ou grande, que pode (ou não) causar retração na demanda. Com um contrato de leasing de longo prazo, como na maioria deles, a companhia aérea deve ficar com o avião, mesmo deixando de operar com ele, ou utilizando-o por uma quantidade menor de horas no dia. A empresa de pagar pela aeronave, mesmo sem utilizar para operar os seus voos.
  • Muitas vezes o leasing depende da avaliação de um banco, que pode variar os juros ou o valor da parcela de acordo com o risco da operação. Há muitas variáveis, mas uma vez John Rodgerson disse em uma entrevista que os novos E-Jets E2 da companhia partem de contratos de leasing com menor risco avaliado, e consequentemente uma parcela menor quando comparamos com o valor da aeronave.

Listadas as vantagens e desvantagens do leasing de uma aeronave, agora precisamos ressaltar a parte de comprar os próprios aviões.

Vantagens da compra

  • Ao comprar uma aeronave para a sua frota, a companhia consegue operar sem qualquer dívida mensal, exceto se houver leasing financeiro (financiamento) do valor da aeronave. Sem despesas mensais de alto valor, a companhia tem sempre mais dinheiro em caixa para investir ou comprar novos aviões. Ao mesmo tempo, em uma crise como dos últimos meses, a empresa consegue ter maior controle das contas.
  • Comprando seu próprio avião, a companhia aérea fica livre para negociar com a fabricante de aeronaves um grande desconto. Uma notícia publicada aqui no portal apontou que a JetBlue encomendou o A220 com um desconto de 72%, literalmente uma pechincha para a aeronave que custa a partir de US$ 91 milhões.

 

Desvantagens da compra

  • Essa opção limita o crescimento de curto e médio prazo da companhia. Uma aeronave como o A320neo custa aproximadamente US$ 110 milhões, no preço de tabela, um valor bastante alto e que pesa mesmo para aquelas que têm uma alta receita, como a Delta.
  • Geralmente companhias aéreas que investem na ideia de ter sua própria frota operam com aviões mais velhos, visto que a aeronave precisa ‘ser paga’ no nível de operação. A tabela abaixo descreve bem isso.
Alguns aviões, como o A220 são pagos pela própria Delta, mas são novos. Eles dividem espaço com o MD-88 que “já foi pago”, mas está de saída. É um ciclo se renovando.

Não podemos negar que essa é uma estratégia para a Delta, e que ajuda e muito na mitigação de prejuízos devido ao tamanho da frota. Em uma crise como a atual, o leasing de 873 aviões poderia queimar o caixa da companhia rapidamente.

Mas isso não é para todos, a Delta tem muita receita, e consegue comprar aviões com facilidade, Uma compra de 45 aeronaves A220-100 com desconto de 50% pode resultar em um montante de US$ 1,4 bilhão, valor que será dissolvido pela companhia ao longo dos anos de operação dessas aeronaves na sua frota.

Em vez de gastar tanto dinheiro alugando aviões novos e econômicos, eles preferem manter os aviões pelos quais já pagaram, mesmo que os custos operacionais sejam mais altos, para quem está “banhado no dólar” não é algo complicado de fazer, para companhias que trabalham com outras moedas mais fracas, como no Brasil, é mais dinheiro saindo do caixa.

 

Delta pode melhorar a quantidade de aeronaves próprias

Foto – Delta Airlines

A intenção da companhia com os 737 MAX é fazer uma compra direta com a Boeing, logicamente com grandes descontos. Quando a empresa compra um avião, geralmente só precisa pagar alguns meses antes de receber o mesmo, após um “ágio” no contrato de encomenda firme.

A Delta se livra do 717 nos próximos meses, diminuindo o valor de leasing pago, e daqui alguns anos pode assumir o compromisso de pagar os seus próprios 737 MAX, assim que começar a receber as aeronaves.

Resta saber como a Delta vai tratar a compra das suas próximas aeronaves, que pode mudar o primeiro gráfico que postamos por aqui. Ao todo, a companhia aérea norte-americana tem contratos para encomendar 345 novas aeronaves.

 

DEIXE UMA RESPOSTA